O espetáculo “A mulher que virou planta” estreia dia 17 de agosto no Rampa –  Lugar de Criação. O trabalho é um solo de Bruna Trindade, livremente inspirado no livro “A vida das plantas: uma metafísica da mistura”, do filósofo italiano Emanuele Coccia. Em um tom onírico, que oscila entre a realidade e a fantasia, a filosofia e a poesia, o solo desenvolve-se por meio de partituras corporais que pretendem dilatar o tempo e aguçar a sensibilidade do espectador. 

Para construção de cada minucioso movimento foi realizado um trabalho de preparação corporal com Renata Asato, buscando na técnica milenar do teatro Nô, e mais especificamente na “kata” – formas específicas de andar, sentar a manusear objetos.

Em estreito diálogo com a estética minimalista desenvolvida na pesquisa, a trilha sonora original criada por Bianca Godoi se utiliza de sintetizadores para mesclar sons e ritmos atemporais. Para marcar a escolha pela artesania, a música criada originalmente para o espetáculo será prensada em um vinil exclusivo, que será manipulado em cena pela atriz. O figurino e os adereços, garimpados em feiras de antiguidades e nos armários de família, complementam essa imagética sutil. 

 Serviço

Local: Rampa – Lugar de Criação – Rua Sá Ferreira, 202 – Copacabana – Rio de Janeiro.

Estreia: 17/8. Sábado, 20h30.

Temporada: Até 15/9. Domingos, 20h. 

Ingressos: A partir de R$ 25,00 (colaboração consciente).

Classificação: 16 anos.

Compartilhe!