[Teatro – RJ] “Minha avó sempre me disse” ressalta ancestralidade negra em curta temporada no Teatro Gonzaguinha

[Teatro – RJ] “Minha avó sempre me disse” ressalta ancestralidade negra em curta temporada no Teatro Gonzaguinha

Evocando os elementos da natureza e a ancestralidade negra, ao som dos instrumentos tradicionais do oeste africano e do cotidiano eletrônico, o processo Despertáculo, em sua imersão “Minha avó sempre me disse”, de autoria do grupo Dembaia é um misto de poesia-teatro-música-dança-ritual, com apresentações únicas, do dia 22 a 31 de março, sexta e sábado às 19h30 e domingo às 18h, no Teatro Gonzaguinha.

Com objetivo de revisitar lugares que explicam o passado, presente e futuro, num híbrido de reflexão, denúncia, afeto e amor, que permeiam os corpos pretos diaspóricos, por meio do elenco composto por Ana Magalhães, Beà, Dai Ramos, Sabrina Chaves e Tati Villela. Como convidados deste processo os artistas Verônica Bonfim e Anani Sanouvi (Togo) executarão uma confluência artística.

Em uma composição cênica onde realidades pretas e femininas são postas em palavras, rituais, corpos, dança, polirritmos de percussão e harmonia, num eterno voltar à fonte ancestral e seguir adiante na direção do afrofuturismo.

 

Serviço

Local: Teatro Gonzaguinha – Rua Benedito Hipólito, 125 – Centro – Rio de Janeiro.

Datas: 22 a 31/3. Sextas e sábados, 19h30. Domingos, 18h.

Ingressos: R$30,00 (inteira), R$15,00 (meia-entrada).

Classificação: 12 anos.

Informações: (21) 2224-5747.

 

 

Sem comentários

Insira um Comentário