O espetáculo “Era Medeia” volta em cartaz dia 9 de outubro no Teatro Glaucio Gill. A peça se passa durante os ensaios de uma adaptação da tragédia “Medeia”, de Eurípedes, pano de fundo para uma discussão que também passa pelo machismo, o abuso de poder, exposição da vida privada e a importância do processo na criação artística

Em cena, estão os atores Eduardo Hoffmann, Isabelle Nassar (nas sessões de quarta-feira) e Caroline Monlleo (nas sessões de quinta-feira), que vivem Pedro Lobo, um diretor excêntrico, e Verônica Albuquerque, uma atriz insegura. O público é convidado a assistir a um ensaio aberto do espetáculo no qual estão trabalhando juntos. Aos poucos, o passado deles vem à tona, e os espectadores passam a ser testemunhas de um acerto de contas íntimo entre os personagens.

A partir da exposição da vida íntima do ex-casal, “Era Medeia” também faz uma reflexão sobre por que o público de hoje parece se interessar mais pelos bastidores da criação do que pela própria criação. “O fato de estarmos vivendo uma realidade social e política extremamente espetacularizada contribui para que o caráter ficcional da arte esteja cada vez mais com sua potência diminuída

Foto: Renato Mangolin.

Ficha Técnica

Texto e direção: Eduardo Hoffmann.

Supervisão artística: Cesar Augusto.

Argumento: Marina Monteiro.

Elenco: Isabelle Nassar, Caroline Monlleo e Eduardo Hoffmann.

Serviço

Local: Teatro Glaucio Gill – Praça Cardeal Arcoverde, s/n – Copacabana – Rio de Janeiro.

Temporada: 9 a 24/10. Quartas e quintas, 20h.

Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada).

Classificação: 14 anos.

Compartilhe!