A peça“Contos negreiros do Brasil”, um espetáculo-documentário sobre a condição de homens e mulheres cuja pele escura determina a maneira como são vistos, retratados e julgados pela sociedade, segue em cartaz no Imperator – Centro Cultural João Nogueira até 1 de junho. Com texto de Marcelino Freire e direção de Fernando Philbert, o espetáculo aborda as dores e os medos de parte tão expressiva da população, mas não se esquece também de suas paixões, desejos e alegrias.

A montagem traz à cena histórias contidas no livro de Marcelino, “Contos negreiros”, mas mistura à ficção estatísticas que dimensionam a realidade experimentada por 54% da população brasileira. Os dados são apresentados pelo ator, sociólogo e filósofo Rodrigo França.

Assim, parte da missão do espetáculo, ao desconstruir o mito da democracia racial, é expor a carne negra a partir de experiências reais, sociais e culturais. “Há uma falsa ideia no Brasil de que tirar uma mazela de baixo do tapete fará com que ela aumente. Precisamos conversar sobre ela. Isso, sim, pode salvar o país”, defende França, que entende a peça como parte de uma retomada do teatro negro brasileiro.

Serviço

Local: Imperator – Centro Cultural João Nogueira -Rua Dias da Cruz, 170 – Méier – Rio de Janeiro.

Temporada: Até 1/6. Sextas e sábados, 20h. Domingos, 19h.

Ingresso: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia-entrada).

Classificação: 14 anos.

Informações: (21) 2597-3897.

Compartilhe!