O espetáculo “O Grito”, inspirado na obra homônima do pintor Edvard Munch (1863-1944), ganha uma nova versão e reestreia na Oficina Cultural Oswald de Andrade dia 27 de junho. Antes da primeira apresentação, às 19 horas, haverá o lançamento do vídeo do espetáculo, produzido por Gal Oppido e a abertura oficial para a visitação da instalação cênica criada pelo artista Jeff Celophane.

A direção, concepção e interpretação é de Marcos Abranches.
Jeff Celophane, cenógrafo e parceiro artístico de Abranches, apresenta uma releitura do espaço cênico criado para a montagem anterior, com os adereços e múmias criadas por Osvaldo Gabrieli.

A instalação, que poderá ser visitada pelo público, vai compor junto com o Vídeo Art de Gal Oppido e com a apresentação do espetáculo O Grito, uma atmosfera do expressionismo utilizado no cinema alemão dos anos 20, buscando uma representação subjetiva do mundo, revelando as angústias da existência humana através de imagens distorcidas, sombrias e afastadas da realidade, como os pesadelos.

O espetáculo segue uma linha dramática semelhante aos trabalhos anteriores de Abranches. Apesar da obra ter sido criada em 2015, ela foi revisitada em 2019 com a orientação dramatúrgica de Sandro Borelli propondo um jogo narrativo muito mais complexo e desconcertante sobre os confrontos com a vida real e certos dilemas da sociedade. A trilha sonora criada por Pedro Simples atua como um forte elemento de cena e contribui com o tom dessa narrativa e dá a ambientação exata da cena. A luz, desenhada por Sandro Borelli, busca amalgamar a obra conferindo-lhe uma densidade poética.

 

Foto: Gal Oppido.

 

Serviço

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Centro – São Paulo.

Temporada: 27/6 a 13/7. Quintas e sextas, 20h. Sábados, 18h.

Ingressos: Grátis.

Classificação: 14 anos.

Compartilhe!