Idealizado pela atriz Natalia Gonsales, espetáculo aborda o tema da guerra curda na revolução da libertação da mulher e a democracia direta no Oriente Médio. Natalia também está em cena, ao lado de Nelson Baskerville. 

Criado a partir da pesquisa de três anos da atriz, Natalia Gonsales, e da dramaturga Marina Corazza a respeito do povo curdo e da revolução de Rojava, na Síria, a peça tem direção de Sandra Coverloni e faz temporada no Sesc Pompeia até 2 de fevereiro.

O espetáculo se passa dentro da sala de Luiz Henrique, diretor da maior empresa de gás liquefeito de petróleo. Anna, uma jovem cineasta, vai ao seu encontro em busca de recursos para a realização de um filme sobre a Revolução de Rojava, no norte da Síria. A cineasta narra o roteiro de seu filme e a importância político-social deste, cruzando histórias de mulheres curdas torturadas da Síria com memórias de mulheres na ditadura brasileira de 64.

A tensão entre os dois personagens vai crescendo durante o espetáculo. Luiz, que viu Anna crescer, tem um olhar paternal para com ela e conforme a cineasta conta sobre o seu projeto e a importância da luta curda, relações dúbias de opressão e falta de escuta são estabelecidas. Em um plano que atravessa o presente, a jovem cineasta fala de sua mãe, presa política na ditadura de 64.

Foto: Ronaldo Gutierrez.

 

Ficha Técnica

Dramaturgia: Marina Corazza.

Direção: Sandra Corveloni

Elenco: Natalia Gonsales e Nelson Baskerville.

 

Serviço

Local: Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93 – Pompeia – São Paulo.

Temporada: Até 2/2. Quinta a sábado, 21h30. Domingo, 18h30.

Ingressos: R$30,00 (inteira), R$15,00 (meia-entrada) e R$9,00 (Credencial Sesc).  

Classificação: 14 anos.

Compartilhe!