Espetáculo cearense com direção de Diego Landin traz à cena temas relacionados diretamente ao corpo humano, como beleza, saúde, política, feminilidade e acessibilidade e pretende leva ao público uma reflexão sobre aceitação.

O solo da atriz Jéssica Teixeira, surgiu da investigação cênica do corpo inquieto, estranho e disforme da própria atriz e de que maneira o mesmo se desdobra e faz desestabilizar e potencializar outros corpos e olhares. A montagem de Fortaleza (Ceará), que mescla dramaturgia, artes plásticas e vídeo, estreia dia 5 de julho, sexta-feira, às 21h30, no Sesc Pompeia.

No palco, Jéssica Teixeira – que ao longo da pesquisa debruçou-se, igualmente, sobre o livro “O Corpo Impossível”, de Eliane Robert Moraes, a fim de disparar dispositivos dramatúrgicos que expandissem a cena – é dirigida por Diego Landin. Para Jéssica, o objetivo de “E.L.A” é provocar no público um desejo de emancipação individual e coletiva a partir da aceitação das diferenças, driblando os clichês e padrões de beleza impostos pela mídia, além de encorajar um olhar e uma sensibilidade para a diversidade e multiplicidade, fortalecendo assim a construção do ser político que há em cada um.

 

Foto: Carol Veras.

 

Ficha Técnica

Direção: Diego Landin.

Elenco: Jéssica Teixeira.

 

Serviço

Local: Sesc Pompeia  – Espaço Cênico – Rua Clélia, 93 – Pompeia – São Paulo.

Temporada: 5 a 14/7. Quinta a sábado, 21h30. Domingos, 18h30.

Ingressos: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada) e R$ 6,00 (Credencial Sesc).

Classificação: 18 anos.

Informações: (11) 3871-7700.

Compartilhe!