Com direção e dramaturgia de Elias Andreato, o solo “A Palavra de Stela” ganha uma nova temporada gratuita no Teatro Municipal da Mooca Arthur Azevedo, entre 22 de fevereiro e 24 de março, de quinta a domingo. A peça estreou em 2017, ocasião em que a atriz Cleide Queiroz solo completou seus 50 anos de carreira no teatro, na televisão e no cinema.

Nascida em 1941, Stela do Patrocínio foi internada no Centro Psiquiátrico Pedro II aos 21 anos, quando diagnosticada como psicopata e esquizofrênica. Quatro anos depois, foi transferida para a Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, onde permaneceu até sua morte em 1992. Durante seus anos de isolamento, Stela desenvolveu um discurso poético. Seu “falatório”, carregado de angústias, retrata a rotina manicomial e, sobretudo, revela sua visão da vida, do mundo e de si mesma.

No espetáculo a personagem narra sua trajetória, expõe seu cotidiano e revela seu olhar de perplexidade diante da vida e dos seres humanos. Andreato escreveu o texto especialmente para Cleide Queiroz. A atriz traz uma relação muito pessoal com a temática proposta, pois é uma mulher negra que durante sua adolescência conviveu com a internação de sua mãe esquizofrênica.

A criação do espetáculo tomou por base o registro em áudio da obra de Stela do Patrocínio realizado na década de 1980 pelas artistas plásticas Neli Gutmacher e Carla Guagliardi, posteriormente, transcrito e organizado por Viviane Mosé no livro “Reino dos bichos e dos animais é o meu nome”.

Ficha Técnica:

Texto: Stela do Patrocínio.

Adaptação e direção: Elias Andreato.

Elenco: Cleide Queiroz.

Serviço:

Local: Teatro Municipal da Mooca Arthur Azevedo. Avenida Paes de Barros, 955 – Mooca – São Paulo.

Data: 22/2  a 24/3. Sextas-feiras e sábados, 21h. Domingo, 19h.

Ingressos: Grátis, distribuídos 1h antes do espetáculo.

Classificação: 14 anos.

Informações: (11) 2605-8007.

 

Compartilhe!