Plínio surge nos anos 60 na cena brasileira em plena ditadura, rompendo definitivamente as cortinas aveludadas do teatro burguês para instalar a face invisível de um brasil esquecido e marginalizado. Textos do dia a dia, verdadeiros e sem necessidade de tradução Plínio Marcos era único. O autor o ator e ele próprio expressavam uma ideia uma maneira de ser e agir e era querido por todos os artistas, os representava e tinha coragem de dizer no palco e na vida o que muitos preferiam calar. Sérgio Mamberti conheceu Plínio em Santos sua terra natal, onde começaram a fazer teatro juntos e foi o interprete de Veludo em Navalha na Carne na versão original.

Buscando evocar neste projeto a pujança do teatro, Mamberti encena um recorte de obras do autor procurando evidenciar e dar amplitude à obra de Plínio como homem de teatro, pensador e dramaturgo no século XXI em tempos de pandemia trazendo para esse universo do confinamento a força a energia libertária e a dimensão clássica de sua obra, sua dramaticidade, seu humor inteligente e cáustico. Um grande estilista profundamente humano, um homem do caminho.

 

Ficha Técnica

Com Sérgio Mamberti

Direção: Ricardo Grasson

Assistência: Heitor Garcia

 

Serviço

Data: 18/05. Segunda, 21h30.

Instagram: @sescaovivo

Youtube: youtube.com/sescaovivo

Compartilhe!