O Portal da Arte Brasileira

Sara Antunes estreia espetáculo digital “Dora” em 6 de março

0 58

Maria Auxiliadora Lara Barcelos, a Dora, tinha 23 anos quando entrou na luta armada contra a ditadura militar. Foi presa, torturada, exilada e suicidou-se na Alemanha em 1976, aos 31 anos. Para resgatar essa história pouco conhecida, a atriz e criadora Sara Antunes mergulhou na trajetória dessa aguerrida mineira, estudante de medicina e guerrilheira, para criar o espetáculo digital Dora, que estreia dia 6 de março pela plataforma Vimeo. A temporada gratuita segue até 4 de abril, com sessões aos sábados e domingos, às 20h.

Com texto e direção de Sara, a peça é estruturada como um caleidoscópio fragmentado mesclando trechos de cartas, imagens de arquivos e relatos autobiográficos da atriz. Angela Bicalho, mãe da atriz, faz uma participação especial traçando um paralelo da vida de Dora com a trajetória familiar de Sara. Dora, mineira como os pais de Sara, nasceu no mesmo ano que a mãe de Sara e se envolveu na resistência à ditadura tendo sido presa e exilada, assim também aconteceu com o pai da Sara, Inácio Bueno. 

Utilizando poucos elementos cênicos, a direção de arte se apoia na escrita a partir das cartas enviadas da prisão e do exílio trocadas entre Dora e sua mãe, Clélia Lara Barcelos. Sara tece uma metáfora através de fios vermelhos que viram vestidos e que viram cartas utilizando plataformas de escrita como retroprojetor, paredes, projeções. Vestidos vermelhos, baldes e água são elementos que partiram de indicações nas cartas. A peça cobre o período de 1965 a 1976, a trilha sonora inclui Tropicália, Violeta Parra e Torquato Neto, canções que marcaram a época e que Dora ouvia e até recomendava. Serão usadas também imagens de arquivo mais pessoais e documentos oficiais, como áudios de rádio, vídeos, fotos, recortes de jornais e revistas, mesclando momentos de objetividade com experimentação, apoiados por elementos audiovisuais. Tudo feito ao vivo, transmitido da casa da atriz, em São Paulo.

Post Patrocinado

O Projeto foi contemplado pela 11º edição do Prêmio Zé Renato de Teatro para a Cidade de São Paulo da Secretaria Municipal da Cultura.

Foto: Alessandra Nohvais.

Ficha Técnica

Direção, texto e atuação: Sara Antunes. Concepção audiovisual: Henrique Landulfo e Sara Antunes. Direção de fotografia e assistência de direção: Henrique Landulfo. Produção: Jessica Leite.

Serviço

Transmissão On-line.

Temporada: 6/3 a 4/4. Sábados e domingos, 20h.

Classificação: 16 anos.

Ingressos: Grátis.

Reservas em:www.sympla.com.br

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

X