O Portal da Arte Brasileira

Performance “E o que Restou do Barro Silenciou a Mulher” acontece on-line de 5 a 18 de novembro

0 13

Para discutir as relações de invisibilidade, de sobrecarga e de desigualdade de poder femininas – agora em tons mais fortes por causa da pandemia – a diretora Eliana Monteiro, concebeu a performance “E o que Restou do Barro Silenciou a Mulher”. A ação acontece de 5 a 18 de novembro de 2021, com transmissão pelo YouTube.

Esse projeto tem concepção de Eliana Monteiro e dramaturgia de Lucienne Guedes. Desta vez participam Mariana Hörlle, Elena Trindade e Fernanda Fiuza, do Rio Grande do Sul; e Pietra Sousa, Joy Ballard, Gleide Firmino e Micheli Santini, do Distrito Federal.

“E o que Restou do Barro Silenciou a Mulher” traz performers de variadas idades, regiões, etnias e condições sociais, a partir de suas próprias casas, com as cabeças cobertas por argila, recebendo pingos de água constantes, fazendo com que essa “máscara” se desmanche durante a performance, que dura quatro horas.

Post Patrocinado

Nesta etapa do projeto, as artistas do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul se revezam durante os 14 dias da performance, em turnos de quatro horas. A ação é acompanhada pelo som de uma espécie de rádio especialmente criada para o projeto, com matérias, artigos, áreas de óperas cujas personagens femininas morrem no final, poemas e spoken word, notícias e outros materiais sonoros que tratarão do mesmo tema, oferecendo um panorama histórico amplo do silêncio imposto e da violência cometida contra as mulheres.

Ao final das quatro horas de cada artista, já com a argila desmanchada, as performers começam a falar, individualmente, sobre vários assuntos que foram calados em suas vidas pessoais e também de pessoas próximas e conhecidas, desmanchando o barro de seus rostos.

A performance traz à tona uma resposta ao silêncio imposto às mulheres, seja no âmbito público e regulamentado ou mesmo nos ambientes mais privados como os das relações familiares. Houve um aumento considerável nos casos de violência doméstica e abuso sexual nos últimos meses, revelando que para muitas mulheres o perigo está dentro de suas próprias casas.

Serviço

Transmissão on-line.

Datas: 5 a 18/11.

Ingressos: Grátis.

YouTube: Canal Mulheres sem Quarentena.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AVISO!

Em virtude da pandemia de Covid-19, alguns eventos foram cancelados ou sofreram alterações. Centros Culturais ou espaços de exposição também fecharam.

Consulte sempre antes de se direcionar a um evento presencial.

X