Orquestra de Câmara da Cia. Bachiana Brasileira apresenta “A Canção da Terra” no YouTube

A série #SalaDigital apresenta na Sala Cecília Meireles, espaço FUNARJ, no dia 5 de dezembro, sábado, às 19 horas, com a Orquestra de Câmara da Cia. Bachiana Brasileira, sob a regência do maestro Ricardo Rocha, “A Canção da Terra”, de Gustav Mahler (transcrição de Arnold Schoenberg-Rainer Riehn), com transmissão ao vivo pelo Canal YouTube da Sala Cecília Meireles. Participação da mezzo-soprano Lara Cavalcanti e do tenor Giovanni Tristacci. A série #SalaDigital tem o patrocínio da PETROBRAS. Ao longo da transmissão serão arrecadadas doações para a Associação dos Amigos da Sala Cecília Meireles que apoia a programação artística e educativa da Sala Cecília Meireles. As doações são dedutíveis do Imposto de Renda de 2021.

“A Canção da Terra” é considerada, por alguns críticos, como a obra mais importante de Gustav Mahler (1860-1911). Os textos usados por Mahler nesta obra foram extraídos do livro A Flauta Chinesa publicado em 1907, uma tradução alemã de poemas chineses dos séculos VIII e IX feita por Hans Bethge. Atingido por várias tragédias pessoais – a morte da filha de quatro anos, a campanha antissemita que o levou a demitir-se da Ópera Imperial de Viena e o diagnóstico de uma doença cardíaca incurável – Mahler encontrou consolo na leitura que sua mulher, Alma, fazia em voz alta da ancestral poesia chinesa da dinastia Tang.

De acordo com a sua narração, “Gustav escolheu os poemas mais tristes da coletânea, começando a esboçar ideias musicais enquanto passeava por atalhos solitários e abandonados”. No verão de 1908, a concepção global deste ciclo sofreu a metamorfose definitiva, tendo Mahler decidido fundir alguns textos, acrescentar frases da sua autoria e introduzir “interlúdios” instrumentais, assim nascendo uma verdadeira estrutura “sinfônica”.

Sobre Cia. Bachiana Brasileira

Corpo artístico da Sociedade Musical Bachiana Brasileira – SMBB, fundada em 1986, a Cia. Bachiana Brasileira também nasceu carioca em 1999 configurando a expressão de uma atitude cujas consequências estéticas constituem a sua meta e o seu principal diferencial. Desde então desenvolve projetos com repertório, elenco e tempo de realização definidos para cada produção, buscando, de forma disciplinada e perseverante, uma sonoridade própria na execução da música de concerto, nacional e estrangeira.

A direção e a regência são do seu fundador, igualmente criador da SMBB, maestro Ricardo Rocha. O alto padrão de qualidade com que executa do colonial brasileiro e barroco europeu à música contemporânea, explica a posição ímpar que a Cia. Bachiana Brasileira ocupa hoje no cenário musical brasileiro, como atesta o 1o Prêmio de Cultura do Estado do Rio de Janeiro recebido em 2009, entre outras distinções.

Serviço

Transmissão Online

Data: 5/12. Sábado, 19h.

YouTube: Canal Sala Cecilia Meireles.

Compartilhe!