O Portal da Arte Brasileira

Núcleo Experimental apresenta espetáculo “Cabaret dos Bichos” a partir de 1º de outubro

0 13

Na adaptação do Núcleo Experimental, dirigida por Zé Henrique de Paula, com músicas originais de Fernanda Maia, a “A Revolução dos Bichos” de George Orwell, é transformada no musical “Cabaret dos Bichos” e a linguagem utilizada se inspira nos cabarés alemães, fortemente referenciados em Bertolt Brecht e Kurt Weil. A temporada acontece de 1 de outubro a 5 de novembro com sessões gratuitas diárias pelo canal do Núcleo Experimental no Youtube  às 19h.

“A Revolução dos Bichos”, de George Orwell, se passa numa granja liderada, inicialmente, pelo Sr. Jones. Porém, insatisfeitos com a dominação, os animais decidem fazer uma revolução. Eles se organizam e expulsam o Sr. Jones da granja, pois não aceitam mais ser tratados como escravos dos humanos. Os porcos passam a liderar a granja, considerando-se os animais mais inteligentes. Um dos maiores escritores do século, Orwell faz um duro retrato sobre o relacionamento do poder com o indivíduo e da sociedade e seus processos.

O livro é uma fábula sobre o poder. Escrito em plena  Segunda Guerra Mundial, o romance é uma alegoria sobre a ambição e a fraqueza humanas, que acabam por sabotar qualquer projeto político mais justo e igualitário. Setenta e cinco anos após sua publicação, surge novamente nas prateleiras das livrarias como um best seller, diante da ascensão das ditaduras ao redor do mundo.

Post Patrocinado

Esta obra é adotada por escolas públicas e privadas há algumas décadas e faz parte do estudo das áreas de Linguagens, História e Filosofia. Permite compreender conceitos como cidadania, democracia, participação política, além de fornecer um rico estudo sobre o contexto histórico do período que engloba as duas Grandes Guerras mundiais do século XX, além, obviamente, do atual contexto sócio-político, cheio de ecos e ressonâncias com a narrativa de Orwell (surgimento de ditaduras, repressão política e policial, a força da mídia e das fake news, entre outros temas). Mais de sessenta anos depois de escrita, ela mantém o viço e o brilho de uma alegoria perene sobre as fraquezas humanas que levam à corrosão dos grandes projetos de revolução política. É irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens.

Ao desenvolver a proposta de dramaturgia para o “Cabaret dos Bichos”, o adaptador e diretor Zé Henrique de Paula buscou referências tanto no formato dos cabarés berlinenses dos anos 20 e 30 do século XX, bem como nas estruturas de algumas obras de Bertolt Brecht e Kurt Weill. A partir dessa premissa, a fábula de “A Revolução dos Bichos” ganhou uma moldura metalinguística, como se houvesse uma companhia de atores que se apresenta num cabaré e performa a obra de Orwell em formato musicado. Para criar esse ‘ensemble’, foram trazidas inúmeras referências tanto históricas quanto literárias, todas elas conectadas com a vida de Orwell de alguma maneira.

Foto: Laerte Késsimos.

Ficha Técnica

Dramaturgia e Direção: Zé Henrique de Paula. Elenco: Dan Cabral, Luci Salutes, Felipe Assis Brasil, Fernando Lourenção, Flavio Bregantin, Mari Rosinski, Pedro Silveira e Yasmin Calbo.

Serviço

Transmissão on-line.

Live com Fernanda Maia e Guilherme Gila. Data: 29/9. Quarta, 18h.

Datas: 1/10 a 5/11. Todos os dias, 19h.

Ingressos: Grátis.

Classificação: 10 anos.

YouTube: Canal Núcleo Experimental.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

X