O Portal da Arte Brasileira

MAM exibe mostra “Moquém_Surarî: arte indígena contemporânea” a partir de 4 de setembro

0 14

O Museu de Arte Moderna de São Paulo exibe, a partir de 4 de setembro, a mostra “Moquém_Surarî: arte indígena contemporânea”, coletiva que tem curadoria de Jaider Esbell – artista macuxi convidado da 34ª Bienal.

Correalizada entre MAM e Fundação Bienal de São Paulo, a exposição integra a rede de parcerias da 34ª Bienal e conta com assistência curatorial da antropóloga e programadora cultural Paula Berbert e consultoria do professor do departamento de antropologia da FFLCH/USP Pedro Cesarino, e realização pelo Edital ProAC Expresso 09/2020.

Moquém designa a tecnologia milenar utilizada pelos povos indígenas para conservar os alimentos após a caça coletiva e facilitar seu transporte até as aldeias. O título da mostra – “Moquém_Surarî”- também refere-se à narrativa makuxi sobre a transformação do Moquém em uma mulher que, nos tempos antigos, subiu aos céus à procura de seu dono que a havia abandonado. Uma vez no céu, Surarî se transforma na constelação responsável por trazer a chuva, marcando o fim do mundo e o começo de um novo. A tecnologia de moquear é usada então para refletir sobre a troca e transformação de saberes que atravessam diferentes tempos e espaços- trânsitos que constituem os movimentos da arte indígena contemporânea.

Post Patrocinado

Um dos principais objetivos da curadoria é mostrar ao público que existem outras histórias da arte e não tentar encaixar a arte indígena em uma narrativa canônica.

“Moquém_Surarî” apresenta trabalhos de 34 artistas indígenas dos povos Baniwa, Guarani Mbya, Huni Kuin, Krenak, Karipuna, Lakota, Makuxi, Marubo, Pataxó, Patamona, Taurepang, Tapirapé, Tikmũ’ũn_Maxakali, Tukano, Wapichana, Xakriabá, Xirixana e Yanomami.

O público vai se deparar com obras em suportes diversos, há desde desenhos criados por artistas como Ailton Krenak – emblemático líder indígena, escritor e filósofo -, Joseca Yanomami, Rivaldo Tapirapé e Yaka Huni Kuin; tecelagens de Bernaldina José Pedro; esculturas de Dalzira Xakriabá e Nei Xakriabá; fotografias de Sueli Maxakali e Arissana Pataxó; vídeo de Denilson Baniwa; gravura de Gustavo Caboco; pinturas de Carmésia Emiliano, Diogo Lima e Jaider Esbell; dentre outros.

Serviço

Local: Museu de Arte Moderna de São Paulo – Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portões 1 e 3 – São Paulo.

Visitação: 4/9 a 28/11. Terça a domingo, 10h às 18h.

Ingressos: Grátis, com contribuição sugerida.

Link para ingressos: https://www.mam.org.br/ingresso.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

X