O Portal da Arte Brasileira

Grupo Maracujá Laboratório de Artes apresenta projeto “Circulação Nerina, a Ovelha Negra”

0 19

O projeto “Circulação Nerina, a Ovelha Negra”, realizado pelo grupo Maracujá Laboratório de Artes através da 10ª edição do Prêmio Zé Renato de teatro para a cidade de São Paulo, chega à sua conclusão.

Depois de nove meses em processo de produção para esta etapa final, em 8 de julho de 2021 o grupo entregou gratuitamente à Secretaria Municipal de Educação (SME) 900 “kits espetáculo” “Nerina, a Ovelha Negra”. Composto por um CD com a trilha sonora do espetáculo em novos arranjos, um DVD com as duas versões do espetáculo na íntegra e uma revista didática sobre a peça, os kits foram distribuídos a CEUs e EMEFs da cidade de São Paulo através da SME.

Além disso, estes kits também dão acesso às versões digitais desses mesmos materiais (vídeo, músicas e revista), possibilitando que todas as instituições consigam acessar, de alguma forma, o material entregue. E, a partir de hoje, a trilha sonora do espetáculo está disponível nas principais plataformas de streaming de música (Spotify, Deezer, Apple Music, iTunes, YouTube Music, Tidal, Amazon Music, entre outras).

Post Patrocinado

O Maracujá Laboratório de Artes decidiu liberar este material para o público em geral, pois é um pedido de grande parte das pessoas que já assistiram à peça desde sua estreia em 2017. Agora já é possível o acesso às músicas do espetáculo independentemente das apresentações teatrais presenciais.

 “Nerina, a Ovelha Negra” é o primeiro álbum musical do grupo teatral Maracujá Laboratório de Artes. O CD apresenta 11 músicas da premiada peça em arranjos novos, mas mantendo as referências da música clássica europeia, reggae, blues, samba, bossa nova e choro, que caracterizam a trilha sonora do espetáculo.

Todas as músicas são cantadas pelo elenco e foram compostas por Michele Iacocca (autor do livro “Nerina, a Ovelha Negra”) e pelo diretor do espetáculo e do Maracujá Laboratório de Artes, Sidnei Caria. A direção musical do CD ficou a cargo da diretora musical Fernanda Maia (de “Urinal – o musical”, “Carrossel, o musical”, “Chaves, um tributo musical”, entre outros), que já havia feito a direção musical da peça, onde propôs brincar com as diferenças culturais trazidas pelas culturas negra e caucasiana e seus desdobramentos, inspirando-se na música clássica europeia, no reggae, no blues, no samba, na bossa nova e no choro, uma escolha que revela musicalmente a miscigenação cultural brasileira.

Os novos arranjos utilizam instrumento como violão, percussão, bateria, baixo, piano e trombone, mantendo as mesmas diretrizes musicais da peça. As letras trazem questionamentos relacionados ao preconceito e exclusão, temas centrais do espetáculo.

O espetáculo, voltado para o público de todas as idades, tem como tema o racismo, que ainda persiste em existir em nossa sociedade, sendo urgente o desenvolvimento de ações que contribuam para reeducar o olhar de todos para mudar esta situação. Levar o tema ao teatro, portanto, foi a forma que o grupo encontrou para tentar fazer sua parte nesta luta.

Foto: Cacá Diniz.

Ficha Técnica

Adaptação e Direção: Sidnei Caria. Elenco: Bia Sabiá, Camila Ivo, Lucas Luciano, Piva Silva, Sidnei Caria, Silas Caria e Yasmin Olí.

Serviço

Disponível nos principais streamings de música.

Site: www.maracujaartes.com.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AVISO!

Em virtude da pandemia de Covid-19, alguns eventos foram cancelados ou sofreram alterações. Centros Culturais ou espaços de exposição também fecharam.

Consulte sempre antes de se direcionar a um evento presencial.

X