Pela primeira vez após 10 anos, Cildo Meireles inaugura, no Rio de Janeiro, mostra na Mul.ti.plo Espaço Arte. Com curadoria de Paulo Venancio, “Múltiplos Singulares” traz objetos e gravuras de diferentes formatos e materiais, produzidos ao longo de cinco décadas. Algumas peças são inéditas, recém-saídas do forno, e serão apresentadas ao público pela primeira vez.

Aos 71 anos de idade, o carioca Cildo Meireles fez sua última retrospectiva no Rio no ano 2000, quando apresentou uma grande mostra no Museu de Arte Moderna. Na exposição da Mul.ti.plo, que vem sendo gestada há dois anos, o público carioca poderá ver de perto um conjunto importante de obras, que lidam com noções da física, da economia e da política, temas recorrentes na obra dele. Entre as 16 peças reunidas, quatro são inéditas e estão sendo produzidas em segredo. As surpresas só serão reveladas no dia da abertura.

“A ideia da mostra se consolidou há dois anos, no meu ateliê, com o Paulo Venancio, a partir de um objeto criado há décadas que sintetiza a instalação-performance ‘Sermão da Montanha: Fiat Lux’, apresentada há exatos 40 anos, em 1979, no Centro Cultural Candido Mendes. Foi uma provocação à ditadura militar, durando apenas 24 horas. Muito pouca gente viu. Desde então, guardo essa maquete e agora, finalmente, concluí o trabalho”, explica o artista.

Serviço

Local: Mul.ti.plo Espaço Arte – Rua Dias Ferreira, 417, sala 206  – Leblon – Rio de Janeiro.

Visitação: 21/11 a 19/1/2020.  Segunda a sexta, 10h às 18h30. Sábado, 10h às 14h.

Ingressos: Grátis.

Classificação: Livre.

Compartilhe!