Manoel de Barros gostava de fazer os cadernos onde rascunhava sua obra. Podiam ser pequenos, grandes, médios. Sempre eram feitos por ele e compostos de material reutilizado. Esses rascunhos materializam sua vasta produção e são a base da Ocupação Manoel de Barros, que chega ao Itaú Cultural no dia 13 de fevereiro, quarta-feira. Até 7 de abril deste ano, seus admiradores poderão percorrer um caminho de letras e livros, dos pensamentos e desenvolvimento do processo criativo do homenageado.

Na abertura, às 20h, o escritor Marcelino Freire e a compositora, cantora e pesquisadora da cultura indígena Marlui Miranda farão leituras de poemas de Manoel de Barros. Uma equipe do Itaú Cultural, formada pelos núcleos de Audiovisual e Literatura e da Enciclopédia, assina a curadoria da Ocupação. A expografia é criação de Adriana Yazbek, que idealizou todo o espaço em material reciclado, do chão ao teto, passando pelas paredes. Martha Barros, artista visual, filha do poeta e detentora dos direitos autorais de sua obra passou o último ano e meio vasculhando os escritos, papéis, papeizinhos, anotações, imagens, cartas enviadas e recebidas, além de objetos caros ao pai em seu cotidiano, que agora dão forma à Mostra.

Serviço

Local: Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149 – Bela Vista – São Paulo.

Data: de 13/2 a 7/4. Terças a sextas, 9h às 20h.

Sábados, domingos e feriados, 11h às 20h.

Ingressos: Grátis.

Classificação: Livre.

Informações: (11) 2168-1777.

Compartilhe!