O Instituto Tomie Ohtake reúne os artistas Éder Oliveira, Regina Parra e Virgínia de Medeiros para a exposição “Jamais me olharás lá de onde te vejo”. A mostra pretende promover a reflexão sobre o retrato como gênero pictórico e como forma de reconhecer e atribuir uma identidade ao retratado. Diego Mauro, Luana Fortes, Priscyla Gomes e Theo Monteiro fazem parte do Núcleo de Pesquisa e Curadoria.

O título da exposição remete a uma frase do psicanalista francês Jacques Lacan, empregada no livro 11 de O Seminário denominado Os Quatro Conceitos Fundamentais da Psicanálise. Segundo a equipe curatorial, o próprio ato de retratar também permeia as questões da mostra, partindo de diferentes abordagens e linguagens.

A obra de Éder Oliveira é reconhecida pela pintura de retratos coloridos em diferentes escalas e em suportes que variam de telas a muros de cidades. Já Regina Parra, traz no retrato um processo de desconstrução mitológica sobre si. Apesar de usar autorretratos fotográficos para escolher quais imagens pintar, a artista não considera os resultados como autorretratos.

Virginia de Medeiros, por sua vez, propõe uma nova montagem para a série Alma de Bronze (2016-2018), realizada a partir de sua convivência com lideranças femininas da Frente de Luta por Moradia (FLM) do Movimento Sem Teto do Centro (MSTC), iniciada com sua participação no Programa de Residência Artística Cambridge e posteriormente transmutada para a Ocupação 9 de Julho.

Serviço

Local: Instituto Tomie Ohtake – Av. Faria Lima 201 – Pinheiros  – São Paulo.

Visitação: 7/8 a 29/9. Terça a domingo, 11h às 20h.

Ingressos: Grátis.

Compartilhe!