A exposição “Gisela Eichbaum: trabalhos sobre papel 1957 – 1976” tem início no Museu Lasar Segall dia 15 de fevereiro. A mostra celebra os 100 anos da artista alemã, refugiada em São Paulo nos anos 1930. A retrospectiva apresentará ao público 38 obras, que buscam sublinhar a centralidade do papel como suporte em suas obras, e também sua preferência por pequenos formatos.

De origem judia, Gisela Eichbaum adotou o Brasil como refúgio após conhecer logo cedo, em solo europeu, a experiência da hostilidade e perseguição. Ela foi uma personalidade que soube como poucos trabalhar o campo do desenho, ao qual se dedicou com especial afinco, juntamente com o problema da cor, alimentando seu trabalho com um universo cromático particular e que o escritor e crítico de arte Geraldo Ferraz chamou de “luminoso sóbrio”.

O espaço temporal tratado, por sua vez, explicita a passagem de Gisela de uma figuração expressionista emblemática, da década de 1950, para a abstração lírica, com poucos exemplares das obras mais conhecidas de sua produção, tal como ocorreu com as realizações posteriores à década de 1980.

Serviço

Local: Museu Lasar Segall –  Rua Berta, 111 – Vila Mariana – São Paulo.

Abertura: 15/2. Sábado, 15h às 19h.

Visitação: Até 18/5.  Quarta a segunda, 11h às 19h.

Ingressos: Grátis.

Compartilhe!