A exposição “Solfejo“, de Felippe Moraes, uma reunião de 29 peças, entre obras e instalações, chega ao Centro Cultural Fiesp a partir de quarta-feira, 3 de abril. A mostra conta com 13 obras inéditas e criadas especialmente para o Sesi-SP, onde a exposição estará aberta para a visitação do público até 30 de junho.

A nova mostra de Moraes, artista que atualmente reside em Portugal, onde faz doutorado pela Universidade de Coimbra, exibe um recorte de sua produção artística que lida com noções de som e música. Formada por obras inéditas e outras já consagradas em seu repertório, a exposição apresenta trabalhos de grande porte, com estruturas de aço e processos técnicos, como afinação acústica e construções especializadas.

O nome “Solfejo” se refere à escala tonal, representada pela partitura, as imagens que possibilitam ao estudante “ler” a música que será executada – proposta que coincide com os objetivos de Felippe Moraes. Entre as obras está a instalação olfativa “Tanto Mar”, que permite que o visitante sinta a essência de alecrim por todo o espaço expositivo. Título homônimo ao da música composta por Chico Buarque, em 1975, faz referência ao trecho específico “manda urgentemente algum cheirinho de alecrim”. A canção faz menção à Revolução dos Cravos, que aconteceu em Portugal no mesmo período em que o Brasil passava pela ditadura militar.

Serviço

Local: Centro Cultural Fiesp –Avenida Paulista, 1313, Bela Vista – São Paulo.

Visitação: 3/4  a 30/6. Terça a sábado, 10h às 22h. Domingos, 10h às 20h.

Ingressos: Grátis.

 

Compartilhe!