O Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo inicia dia 22 de maio, quarta, a exposição “Vaivém”, que apresenta as redes de dormir nas artes e na cultura visual do país. Com mais de 300 obras, dos séculos 16 ao 21, e a participação de 141 artistas – entre eles, 32 indígenas –, a mostra tem curadoria de Raphael Fonseca.

 Com pinturas, esculturas, instalações, fotografias, vídeos, documentos, intervenções e performances, além de objetos de cultura visual, como HQs e selos, Vaivém ocupa todos os espaços expositivos do CCBB São Paulo, do subsolo ao quarto andar, e está estruturada em seis núcleos temáticos e transhistóricos.

Vaivém tem início com Resistências e permanências, que é apresentado no subsolo do edifício e mostra as redes comosímbolo e objeto onipresente da cultura dos povos originários do Brasil. Neste núcleo, a maioria das obras é produzida por artistas contemporâneos indígenas, como Arissana Pataxó. No vídeo inédito Rede de Tucum, ela documenta Takwara Pataxó, a Dona Nega, única mulher da Reserva da Jaqueira, em Porto Seguro (BA), que ainda guarda o conhecimento sobre a produção das antigas redes de dormir Pataxó, feitas com fibras extraídas das folhas da palmeira Tucum.

Serviço

Local: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – São Paulo.

Visitação: 22/5 a 29/7. Quarta a segunda, 9h às 21h.

Ingressos: Grátis.

Informações: (11) 3113-3651.

Compartilhe!