Um dos fundadores da crítica cinematográfica brasileira, Paulo Emílio Salles Gomes (1916-1977) produziu uma vasta obra dedicada a pesquisar, divulgar e preservar o cinema nacional. Em setembro, o Instituto Moreira Salles apresenta uma mostra que debaterá o impacto de sua produção fora do Brasil. Intitulada “Tudo É Paulo Emílio”, a programação será exibida no IMS Paulista, de 25 de setembro a 6 de outubro, e no IMS Rio, de 25 de setembro a 3 de outubro.

Um dos destaques da mostra é a exibição da mais recente restauração da filmografia completa do cineasta francês Jean Vigo (1905-1934), sobre quem Paulo Emílio escreveu uma biografia pioneira, em 1957. As sessões serão apresentadas pelo pesquisador francês Bernard Eisenschitz, responsável pelas novas versões restauradas, inéditas no Brasil. A obra de Vigo inclui os curtas A propósito de Nice (1930), Taris ou A natação (1931), o média Zero em comportamento (1933) e o longa O Atalante (1934).

Além da produção de Vigo, serão exibidos filmes representativos dos debates propostos por Paulo Emílio (a valorização do cinema brasileiro, sua paixão pela obra de Orson Welles e pela preservação audiovisual), selecionados por Maite Conde e Stephanie Dennison, organizadoras da primeira coletânea de artigos do intelectual publicada em língua inglesa. As duas participarão de um debate, junto com Eisenschitz, sobre a produção de Paulo Emílio. A conversa acontecerá no IMS Rio, no dia 29 de setembro, às 18h, e no IMS Paulista, no dia 1 de outubro, às 19h.

Entre os títulos contemplados, está É tudo verdade (1993), filme que reconstitui o documentário homônimo de Orson Welles, nunca terminado. Encomendado pelo governo americano, no contexto da Política de Boa Vizinhança, o longa seria composto por três partes: uma filmada no México e duas no Brasil. O projeto, no entanto, acabou sendo engavetado. Em um texto de 1958, Paulo Emílio comenta a empreitada: “O material recolhido durante quatro meses de trabalho era abundante e de excelente qualidade, e tornaria It’s All True um canto de amor e solidariedade aos negros e pescadores brasileiros”. As exibições do filme nos centros culturais contarão com apresentações de Conde e Dennison. De Welles, por quem o pesquisador era fascinado, a mostra exibe Cidadão Kane (1941).

Foto: Divulgação/Park Circus.

Serviço

Local: IMS Paulista – Avenida Paulista, 2424 – Consolação – São Paulo.

Data: 25/9 a 6/10.

Local: IMS Rio – Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea – Rio de Janeiro.

Data: 25/9 a 3/10.

Programação completa em ims.com.br.

Ingressos: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia-entrada).

Compartilhe!