Edição Audiovisual do Festival Arte como Respiro estreia no site do Itaú Cultural

Até o dia 30 de novembro, o Itaú Cultural estreia em seu site a programação do Festival Arte como Respiro – Edição de Audiovisual, reunindo o primeiro recorte dos projetos contemplados neste segmento dentro da série de editais de emergência realizada pela instituição para apoiar artistas impactados pela suspensão social no contexto da pandemia do Covid-19.

Os projetos selecionados a partir do tema Descobertas e/ou Redescobertas podem ser acompanhados em duas mostras online. A primeira delas exibe 93 curtas-metragens, entre documentários, ficções e filmes experimentais, realizados com diferentes técnicas e linguagens, vindos de Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espirito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo. A segunda, com os demais projetos contemplados no edital, está prevista para entrar no site da instituição na primeira quinzena de dezembro.

O primeiro momento do Festival Arte como Respiro – Edição de Audiovisual começa no dia 16 de novembro (segunda-feira), quando é aberta uma temporada de 15 dias para o público conhecer 93 filmes selecionados, divididos por oito programas: AfetividadesOlhares para DentroCotidianosReminiscênciasOlhares ArtísticosCada TempoSua HistóriaRaízes e Migrações e Lutas Diárias, Lutas de Sempre (as sinopses de todos os filmes estão disponíveis no arquivo atachado).

Com 11 curtas-metragens, o programa Afetividades traz histórias que falam de amor. Na tela, o sentimento é expressado através de amizades separadas por um muro ou um oceano, na relação entre pais e filhos, na adoção de um animal ou em relacionamentos amorosos, sejam eles ao vivo ou mediados pela tecnologia.

Nos 14 filmes selecionados para compor Olhares para Dentro – parte 1, a solidão, acentuada nos últimos tempos, abre os olhos para enxergar o que parecia ser sem importância. É o caso de detalhes de uma casa e seus mobiliários e dos pequenos seres que a habitam. O convite é também para um olhar para dentro de si.

A descoberta ou a redescoberta das percepções sobre a passagem do tempo conduzem os oito filmes que podem ser assistidos no programa Cotidianos. Na tela, elas podem ser vistas em um botão que desabrocha em flor, na luz do sol que varia ao longo do dia, nas novas rotinas exigidas pelo isolamento, ou no simples ato de respirar.

O programa Reminiscências – parte 1 tem 11 curtas-metragens que abordam perdas, ausências e saudades. Memórias que são relembradas, transmitidas por relatos ou por objetos. Reminiscências de cheiros, sabores, visões, sons. Redescobrir pessoas, animais, objetos e lugares. Lembrar e relembrar são pequenos atos de resistência, de manter viva uma memória coletiva ou individual. 

Olhares Artísticos, por exemplo, faz inspirar e expirar arte. A seleção, com 11 filmes, apresenta histórias que abordam diferentes formas de experimentar o mundo por meio das diferentes áreas de expressão artística.

Já no programa Cada Tempo, Sua História, o público acompanha nove vídeos que levantam uma questão: o quanto a visão das crianças para o cotidiano, para o passado ou para o futuro, ou para si mesmas, é comum ou diferente dos olhares dos idosos?

Uma seleção de 12 produções sobre diferentes relações com a terra, com a importância de criar raízes para se consolidar um lugar no mundo ou de se deslocar para criar novas raízes em outros territórios – por desejo ou necessidade –, integra o programa Raízes e Migrações. Um paradoxo do rompimento de fronteiras enquanto há a obrigação de demarcá-las. Esse programa é totalmente acessível em libras.

Em Lutas Diárias, Lutas de Sempre, último programa da mostra, 14 curtas-metragens trazem olhares para a batalha contra o racismo estrutural, o preconceito, o machismo e o patriarcado. As histórias navegam pela igualdade de gênero, pela liberdade, por direitos básicos, por condições adequadas e igualitárias de vida, trabalho, educação, saúde física e mental. Neste conjunto de filmes, todos os dias são dias de luta, desde sempre.

Foto: Ana Rodrigues.

Serviço

Exibição: Até 30/11.

Site: www.itaucultural.org.br 

Compartilhe!