Mestre em dança, a bailarina e coreógrafa mineira Beth Bastos dirige “Performances-observatório” entre 2 e 24 de novembro na Casa Miani. As apresentações encerram o projeto O que vemos quando olhamos dança?.Com duração de uma hora, as performances-observatório acontecem ao ar livre, no jardim, desenhado por Burle Marx.O trabalho de improvisação e de composição em dança se alimenta  das filosofias de corpo da bailarina americana Lisa Nelson (bailarina, performer, editora de revista em Nova York) e de Klauss Vianna (bailarino brasileiro, criador de um método de dança).

Beth Bastos investe na desaceleração do espectador e do artista. Beth Bastos e os bailarinos do Núcleo Pausa propõem ao público a experiência da  composição e do movimento com o foco no corpo e no espaço, ativando a percepção dos sentidos e os sentidos da imaginação. “As performances-observatório oferecem ao espectador a possibilidade de escolher como e de que lugar se quer olhar, ver e assistir.”, comenta Bastos.

A coreógrafa explica que “a proposta das performances-observatório é sintonizar a percepção e o instante para criar composições espontâneas e singulares, usando os sentidos do corpo como ferramentas de sobrevivência e de produção de imagens. O que pode uma pausa provocar? O que se imagina a partir de um corpo que pausa? Como essa imagem efêmera afeta o espaço”?

Fotos de Sandro Miano

Serviço

Local: Casa Miani – Rua Marechal Deodoro, 10 – Granja Julieta – São Paulo.

Temporada: 2 a 24/11. Sábados e Domingos, 17h30.

Ingressos: Grátis.

Classificação: Livre.

Compartilhe!