As lives semanais, com textos de Cléo De Páris e fragmentos de outros autores, dirigidos por Fábio Penna, acontecem nos jardins e no interior de um casarão da família da atriz, na pequena Barão de Cotegipe, Rio Grande do Sul, cidade onde atriz e diretor cumprem quarentena.

 

Em tempos de reinvenção do mundo, as já populares lives tem sido uma das poucas janelas possíveis para manter o artista vivo e levar a arte ao público. Cléo De Páris e Fábio Penna, integrantes da cia. teatral paulistana Os Satyros e amigos de longa data, estão reunidos na nova missão: ele é o diretor do projeto “Desamparos”, que consiste em lives semanais da atriz, transmitidas diretamente da longínqua Barão de Cotegipe, 7.000 habitantes, cidade natal de Cléo, no Rio Grande do Sul, onde vive sua família.

O inicio do projeto se deu de forma inesperada, pouco antes do isolamento social. Fábio passava alguns dias na casa de Cléo por conta de uma filmagem nas proximidades, e acabou tendo que permanecer lá. A atriz, por sua vez, precisou fazer uma viagem à sua cidade, e assim tiveram que ir juntos para o Sul.

O nome “Desamparos” – assim como boa parte dos textos – veio do blog “Pueril”, que Cléo manteve durante muito tempo no UOL. Há também nas lives textos de Florbela Espanca, Cecília Meireles, Milan Kundera, entre outros.

Foto: Andre Stefano.

 

Serviço

Datas: Terças, 22h

Instagram: @cleodeparis

Compartilhe!