O Portal da Arte Brasileira

Cia. Fragmento de Dança promove Terça Aberta no Kasulo em 26 de abril

0 18

A Terça Aberta no Kasulo acontece no próximo dia 26 de abril, às 19h, com três criações: “Bocuda – every now and then”, uma composição entre realidade palpável, memórias e imaginação de Nina Giovelli; “Eco, Oco Preso no Peito”, da mineira Maria Emília Gomes, que fala de (não) pertencimento e ausência; e “In memorian”, da atriz Andrea Tedesco, que parte das questões da filósofa transgênero Beatriz Preciado em “O Feminismo não é um Humanismo”. A entrada é gratuita e os ingressos também podem ser reservados no site da companhia.

Para quem puder e quiser chegar um pouco mais cedo, às 18h, rola em frente ao Kasulo o encontro performático “Troco sonhos por danças”, que Cia. Fragmento de Dança vem realizando no entorno da sede, na rua e em espaços como a Casa de Acolhida da Santa Cecília e na Ocupação José Bonifácio, ligada ao Movimento de Moradia, e que já reúne uma coleção de memórias e sonhos compartilhados.

No Kasulo, o primeiro trabalho da Terça Aberta, “Bocuda – every now and then”, mescla um pouco de passado e de futuro, numa composição entre realidade palpável, memórias e imaginação. Ao considerar a dança como um sistema bruto de comunicação, Nina Giovelli busca, pela voz e pelo corpo, um engajamento emocional para criar um espaço empático onde caibam questionamentos e pensamentos de mundo de uma outra forma em uma outra lógica.

Post Patrocinado

Em “Eco, Oco Preso no Peito”, Maria Emília Gomes traz a presença da mulher preta cujo corpo em performance ecoa, pulsa e ritualiza o instante para falar de pertencimento e presença em meio a tantas ausências. O grito encapsulado faz vibrar o corpo e mover a dor que o consome por dentro. A criação conta com Ricardo Januário como provocador e tem Ruan Trindade na edição e mixagem de som.

“Como viver com os mortos; como viver com os animais?” A performance “In Memorian” parte destas perguntas que Beatriz Preciado faz em “O Feminismo não é um Humanismo”, para experimentar jogos, leituras e cenas que se constroem e se dissolvem. Explorando a fragilidade e o fracasso como forma, Andrea Tedesco lança um olhar para os modos de opressão que se relacionam e que têm em sua origem o binômio hierarquizado homem/animal. Colaboram na criação Eduardo Parisi, João Pedro Ribeiro e Pedro Canales.

Na sequência, começa uma boa conversa entre os artistas, com a participação do público e mediação da atriz Janaina Leite, diretora do Grupo XIX de Teatro, e da bailarina Vanessa Macedo, que dirige a Cia Fragmento de Dança, curadoras do projeto.

Parte do projeto Danças para sonhar, sonhos para existir, contemplado pelo Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo, a Terça Aberta no Kasulo tem como proposta receber artistas para compartilhamento de trabalhos em processo de criação.

Serviço

Local: Kasulo – Espaço de Cultura e Arte – Rua Souza Lima, 300 – Barra Funda – São Paulo.

Data: 26/4. Terça, 19h.

Classificação: 18 anos

Ingressos: Grátis.

Reservas no link: www.ciafragmentodedanca.com.br/programacao-terca-aberta

Informações: (11) 3666-7238.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AVISO!

Em virtude da pandemia de Covid-19, alguns eventos foram cancelados ou sofreram alterações. Centros Culturais ou espaços de exposição também fecharam.

Consulte sempre antes de se direcionar a um evento presencial.

X