Poèmes em Machine lança livro de poemas inspirados por histórias colhidas em praças e parques de São Paulo

O escritor Fernando Rangel, a atriz Adriana Coppi e o guerreiro andrógino potiguar de cognome Arara Xestal criaram o “Poèmes em Machine”, quedesde 2013 escreve poemas em locais públicos de São Paulo, como o Parque da Luz, o Trianon ou em Viradas Culturais.

Adriana começa a performance, declamando poemas e fazendo o convite para a aproximação e futuras conversas, que irão inspirar os poemas instantâneos, registrados em papel sulfite, copiados em papel carbono, por antigas máquinas de escrever. Anunciada a extinção deste meio de escrita no século passado, elas até ganharam versos.

São 37 poemas, 37 histórias diferentes. A menina que sonha com o príncipe encantado de uma novela mexicana, a estudante de física que queria entender a natureza, a força do jovem da periferia para não entrar no tráfico ou o que enfrenta o preconceito da sexualidade, o drama do usuário de crack, a senhora que, pasmem, fez um curso de datilografia.

Com o apoio do ProAC — Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, poemas escritos nos últimos 8 anos, em antigas máquinas de escrever, chegam agora até nós, com o lançamento do livro “Poesia do Instante”.

Ficha Técnica e Serviço

Autor: Poèmes en Machine.

Ilustrações: Bruno de Amorim.

Editora: Machine Editora.

ISBN: 978-65-990847-0-6.

Ano de edição: 2020.

Preço: R$ 25,00.

Link para compra:http://poemesenmachine.com.br/lojaeditora/

2021LivrosPoèmes em MachinePoesia
Comentários (0)
Comentar