Encontros virtuais debatem a corporalidade e suas possibilidades em “Danças Plurais”

O Sesc Santo Amaro traz em dezembro a série Danças Plurais, uma ação formativa com a curadoria e mediação de Andrea Soares, dias 2, 3 e 4 de dezembro, quarta, quinta e sexta-feira, às 19h. Os encontros acontecem online, são gratuitos e reforçam a importância da discussão sobre os padrões etnocêntricos de ensino inseridos nas produções de dança em diversos espaços cênicos do Brasil.

Com a proposta de trazer ao público diferentes formas de entender os processos de criação – construindo pontes entre criador e culturas inspiradoras – além do entendimento sobre a potência processual nos muitos modos possíveis de se fazer dança, a atividade segue três vertentes, considerando suas especificidades em cada encontro. O foco são as principais heranças culturais formadoras do povo e das culturas brasileiras: indígena, afro e europeia.

O primeiro episódio ao vivo acontece dia 2 e convida o público a ter um olhar abrangente para a cultura indígena. Em Xondaro: conexões invisíveis no corpo que dança, o diretor teatral e bailarino Ivan Bernardelli suscita uma discussão sobre os processos artísticos a partir de mitologias e fenômenos históricos relacionados à cultura brasileira. Graduado em arquitetura e urbanismo pela USP, Ivan integrou o elenco de vários balés no Brasil e no mundo e, atualmente, é bailarino da Cia. Siameses, além de atuar na Cia. Dual.  Junta-se a ele o Cacique e escritor Timóteo Verá Popygua, da aldeia Taquari, situada no município de Eldorado – SP, que apresenta um panorama sobre o xondaro, dança cultural do povo Mbya Guarani.

Na sequência, dia 3, é a vez de Ecos da “Contradança”: a Quadrilha no palco levar ao público um pouco das influências europeias para o centro da discussão. Com o educador e vice-presidente da Liga de Quadrilhas Juninas de Alagoas, Zé Cláudio e a participação de Joelma Ferreira, dançarina e pesquisadora em danças populares e contemporâneas.  Especialista em arte, educação e sociedade pelo Centro Universitário CESMAC – 2015, Joelma é graduada em Dança – Licenciatura pela Universidade Federal de Alagoas – UFAL, 2013, atua há onze anos na área e integra a Cia. dos Pés.

Encerrando o ciclo de ações, no dia 4, a cultura negra é abordada em Afro corporalidades: conexões entre Nkisi e a cena. Este encontro fecha a programação do projeto Danças Plurais e conta com a participação da professora, pesquisadora e intérprete Franciane Salgado de Paula, conhecida por seu nome artístico, Kanzelumuka. Bacharel em dança pelo Departamento de Artes Corporais da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP e mestra e doutoranda em artes (linha de pesquisa estética e poéticas cênicas) pelo Instituto de Artes da Unesp – PPG. Na ocasião, participa também a sacerdotisa do candomblé e ativista social Nengua dia Knisi Dango, que atualmente é presidente da Organização Cultural Social Beneficente de Tradição Afro-Brasileira Casa do Arco Íris, em Hortolândia – SP.

Serviço

Transmissão pelo YouTube.

Datas: 2 a 4/12. Quarta a sexta, 19h.

Ingressos: Grátis.

Classificação: 16 anos.

YouTube: Canal Sesc Santo Amaro.

2020Sesc Santo Amaro
Comentários (0)
Comentar