O Portal da Arte Brasileira

18ª SP – Arte acontece de 6 a 10 de abril no Pavilhão da Bienal

0 37

Em sua 18ª edição, a SP–Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo, que acontece de 6 a 10 de abril no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, conta com a participação confirmada das mais importantes galerias de arte e design do Brasil. Esta, que é a mais tradicional e importante feira de arte da América Latina, reunirá 133 galerias, das quais 92 galerias de arte nacionais, nove galerias de arte internacionais e 32 galerias de design, setor que volta com força ao Pavilhão da Bienal, além de 14 editoras. Com a nova edição, o Festival consolida seu papel de catalisador do mercado nacional das artes visuais e impulsionador da economia criativa da cidade.

Neste ano, a SP–Arte amplia seu alcance com a retomada de participações institucionais e com a introdução de novo setor chamado Radar SP–Arte, para a participação inédita de espaços autônomos e ONGs, além de uma exposição de artistas sem representação comercial com curadoria de Felipe Molitor. Com a nova expografia desenvolvida para a 18ª edição, o térreo será ocupado pelos setores de design, editorial e Radar SP–Arte, além da exposição Arte Natureza: ressignificar para viver, com curadoria de Ana Carolina Ralston. No primeiro piso, estarão galerias ligadas ao mercado secundário e, no segundo, serão reunidas as galerias do mercado primário de arte, tanto as mais consagradas quanto as emergentes, e as participações institucionais.

O mais novo setor da Feira, Radar SP–Arte é um programa inédito da SP–Arte que busca aproximar o mercado e o público de agentes autônomos (artistas, espaços autogeridos) que constituem o sistema de arte. É uma plataforma de promoção e contato, que expande a atuação estritamente comercial da Feira ao incentivar outras formas de conexão e diálogo, desde o centro do mercado da arte. Na primeira edição, durante a 18ª SP–Arte, o Radar SP–Arte será formado por uma curadoria de Felipe Molitor de artistas que não possuem representação comercial, intitulada Hora grande, e pela participação presencial de cinco coletivos e espaços autônomos de arte, que apresentarão seus projetos em pequenas exposições comerciais. São eles: 01.01 Art Platform, Casa Chama, GDA, MT Projetos de Arte e Nacional TROVOA. Já a exposição Hora grande contará com projetos de nove artistas: Allan Pinheiro (1993, Rio de Janeiro, RJ), Anitta Boa Vida (1985, Rio de Janeiro, RJ), Felipa Queiroz (1995, Porto Alegre, RS), Luisa Brandelli (1990, Porto Alegre, RS), Natalie Braido (1996, São Paulo, SP), Raphaela Melsohn (1993, São Paulo, SP), Simon Fernandes (1982, Fortaleza, CE), Tatiana Chalhoub (1987, Rio de Janeiro, RJ) e Yhuri Cruz (1991, Rio de Janeiro, RJ). Sua proposta é descobrir e apresentar artistas para o mercado, favorecendo sua inserção profissional no sistema. Um dos participantes receberá uma bolsa da SP–Arte para uma residência de 2 meses em parceria com o Instituto Inclusartiz (RJ). O Radar SP–Arte é patrocinado pela Vivo.

Post Patrocinado

Depois de apresentar a exposição Arte e tecnologia na edição passada, a curadora e jornalista Ana Carolina Ralston organiza, na 18ª SP–Arte, uma mostra inédita intitulada Arte natureza: ressignificar para viver, com obras de artistas fundamentais para se pensar as relações entre arte e sustentabilidade, como Ernesto Neto, Joseph Beuys, Frans Krajcberg e Daiara Tukano. Na curadoria, Ralston propõe, a partir da arte, a discussão sobre a ideia de ecologia, uma rede na qual o elo entre os reinos se torna essencial para a continuação das espécies. Em suas palavras, “o ressignificar daquilo que nos rodeia é chave para a sequência da vida humana como parte do meio. A transformação de matéria, assim como sua compensação em outros elementos, torna o equilíbrio e, consequentemente a nossa permanência na Terra, possíveis. Nada mais efetivo do que colocar tal diálogo em meio a um dos principais parques da América Latina, onde humanidade, arte e ambiente se encontram e coexistem.” Dentre os artistas participantes estão Ernesto Neto e Luiz Zerbini (representados pela Fortes D’Aloia & Gabriel), Regina Vater (Jaqueline Martins), Sonia Gomes (Mendes Wood DM), Frans Krajcberg (Caribé), Deco Adjiman (Sé), João Farkas (Paulo Darzé), Juliana dos Santos (HOA), Daniel Acosta (Verve), Juliana Cerqueira Leite (Casa Triângulo), Caio Reisewitz (Luciana Brito), Joseph Beuys (Gomide & Co), Amélia Toledo (Nara Roesler), José Bento e Daiara Tukano (Millan), Uýra (C. Galeria), Bené Fonteles (Karla Osório), Paula Costa, Hugo Fortes e Mariana Palma (sem galeria). A exposição Arte Natureza: ressignificar para viver terá expografia de Rodrigo Ohtake e é patrocinada pela empresa Orizon VR.

Na SP–Arte 2022, o tradicional programa de Talks será promovido pelo Iguatemi, shopping que é incentivador da arte e da cultura e parceiro master da SP–Arte, no lounge Arena Iguatemi no segundo andar do Pavilhão. Construído como um teatro de arena, o tradicional espaço do Iguatemi remete ao Talks de Arquibancada, realizado na edição 2021. Dessa vez, o curador Jacopo Crivelli Visconti, que esteve à frente da curadoria da última Bienal de São Paulo, e a curadora Ana Roman, curadora assistente na última Bienal, organizam e conduzem conversas com artistas e curadores renomados na quinta, sexta e sábado, dias 7, 8 e 9 respectivamente. Ao final de cada dia, o lounge Arena Iguatemi recebe lançamentos editoriais. E nas horas vagas, o ambiente serve de espaço de convivência e descanso para todos os visitantes.

De volta ao Pavilhão da Bienal, a SP–Arte reunirá galerias nacionais em forte ascensão, as principais galerias brasileiras com sólida projeção internacional e também expositores estrangeiros. Entre as nacionais, estão Galeria Luisa Strina (SP), Fortes D’Aloia & Gabriel (SP — RJ), A Gentil Carioca (RJ — SP), Mendes Wood DM (SP — NY — Bruxelas), Nara Roesler (SP — NY — RJ) e Galeria Jaqueline Martins (SP — Bruxelas). Também participam com força no mercado secundário Gomide & Co (SP), Almeida & Dale Galeria de Arte (SP), Dan Galeria (SP), Paulo Kuczynski (SP), Pinakotheke (SP) e Galeria Ipanema (RJ).

Entre as estreantes, estão a Galeria Marco Zero, que vem movimentando a cena de arte recifense (PE), e a Galeria Marli Matsumoto (SP), aberta no ano passado apresentando artistas consolidados e emergentes.

Para além do eixo Rio-SP, a SP–Arte conta com a presença da Paulo Darzé e Roberto Alban (Salvador), Amparo 60 (Recife), Referência (Brasília), Celma Albuquerque e Periscópio (BH), Simões de Assis (Curitiba) e Ybakatu (Florianópolis).

Entre os nomes internacionais, figuram a Galleria Continua (que atua no Brasil, além de Itália, China, Canadá, Cuba e França); a Galería SUR, que tem marcado presença na SP–Arte desde a sua primeira edição, e a Galeria de las Misiones, ambas do Uruguai; a Buenos Aires Fine Arts (Argentina); a Zielinsky (Espanha); e a Lamb Arts (Reino Unido). Além dessas, duas importantes galerias dos Estados Unidos participarão da feira: Opera Gallery e Piero Atchugarry Gallery.

O setor design volta com fôlego, apresentando trinta escritórios e galerias especializadas em mobiliário e design autoral brasileiro. Participam expositores de peso como Etel, Ovo, Loja Teo, Jacqueline Terpins, Atelier Hugo França e Passado Composto Séc. XX (todos de São Paulo), além de diversos estreantes estrelados como Wentz e Diletante 42, também da capital paulista, e o coletivo de designers Cultivado em Casa, de Minas Gerais.

A realização da SP–Arte mobiliza a agenda cultural do mês de abril, ocupando toda a cidade com a arte. Nesta edição, a temporada de eventos que acompanham a abertura da Feira se desdobra no tempo e passa a se chamar SP–Arte Weekend. A programação é realizada em parceria com os expositores e patrocínio da Beck’s. No SP–Arte Weekend, as aberturas e encerramentos de exposições, visitas guiadas e celebrações ocorrerão em diversas galerias de São Paulo nos finais de semana que antecedem a Feira, concentrando-se especialmente nos principais corredores turísticos de São Paulo: nos dias 26 e 27 de março, galerias e espaços culturais do circuito Barra Fundo, Centro & Higienópolis abrem as portas em horários alternativos e com atividades especiais. Já nos dias 02 e 03 de abril, às vésperas da Feira, é a vez do circuito Vila Madalena, Pinheiros & Jardins. A programação ainda se espalha para várias localidades, incorporadas pela SP–Arte sob a chave Outros circuitos.

A SP–Arte mantém uma estreita colaboração com seus patrocinadores, que compartilham a aspiração de criar uma plataforma global para a troca de ideias que impulsionam o mundo da arte. A Feira conta historicamente, há mais de 15 anos, com a Vivo, a Rede e o Iguatemi como seus patrocinadores master, aos quais se juntaram, neste ano, Orizon VR e Unipar. A SP–Arte tem, ainda, o patrocínio da Tiffany & Co. Liberty Seguros, Becks, Chandon, Terrazas de los Andes como suas bebidas oficiais, além de diversos Parceiros fundamentais que tornam o evento possível, como café Orfeu, restaurante Capim Santo, Le Pain Quotidien, a Finarte, Agua na Caixa, Jardineiro Fiel, a loja ,Ovo, a Kamy.

A SP–Arte adota todas as medidas de segurança necessárias para que a visitação ocorra da melhor maneira possível. Novamente, a compra do ingresso acontecerá apenas online e mediante agendamento. Para o acesso ao evento, será necessário apresentar comprovante de vacinação completa contra Covid-19, conforme determinações municipais e estaduais.

Serviço

Local: Pavilhão da Bienal — Parque Ibirapuera, Portão 3 — São Paulo, Brasil

Datas: 6 a 10/4. Quarta a sábado, 14h às 20h. Domingo, 12h às 20h.

Classificação: Livre.

Ingressos: R$50,00 (inteira) e R$25,00 (meia-entrada). Crianças até dez anos não pagam entrada.

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

AVISO!

Em virtude da pandemia de Covid-19, alguns eventos foram cancelados ou sofreram alterações. Centros Culturais ou espaços de exposição também fecharam.

Consulte sempre antes de se direcionar a um evento presencial.

X