Rodeio vira patrimônio cultural brasileiro

Intervenção sobre rodeios feito por Eduardo Kobra (Créditos: Reprodução/ Facebook)

 

Rodeios e vaquejadas passam a ser considerados manifestações culturais e, mais do que isso, patrimônio cultural imaterial brasileiro. A lei que prevê esse tratamento a esse tipo de evento foi sancionada hoje (30/11) sem vetos pelo presidente Michel Temer.

O histórico dessa decisão remete a 6 de outubro, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional uma lei cearense que regulamentava eventos desse tipo. O debate ecoou e o Congresso Nacional aprovou no dia 1º de novembro uma proposta que visava à legalização de rodeios e vaquejadas.

 

(Mural sobre rodeio na Vila Madalena, artista: Eduardo Kobra (Créditos: Reprodução/ Facebook)

 

Em entrevista à Agência Brasil, o relator do projeto aprovado no começo do mês, o senador Roberto Muniz (PP/BA) falou sobre integridade física dos animais utilizados nessas atividades.

Segundo Roberto, há ações de aperfeiçoamento da atividade para proteção do animal e o debate sobre o assunto não deve inviabilizar a realização dessas atividades. Para ele, a proibição representa “desprezo do que é a cultura nordestina”, em especial a cultura do interior do país.

 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo