Documentário sobre o caderno "Ilustrada" é exibido na TV Cultura

 

Dirigido por Miguel de Almeida e Luiz R. Cabral, Não estávamos ali para fazer amigos retrata as transformações da produção cultural brasileira a partir do final da ditadura militar. Como fio condutor, o documentário narra o nascimento da Ilustrada, do jornal A Folha de S. Paulo, e mostra como o caderno foi importante para o jornalismo da época.

O longa da dupla vai ao ar pela TV Cultura, no dia 18 de dezembro às 00h (meia-noite do sábado, 17). Inserido na Programação de Fim de Ano da emissora, o trabalho será exibido no programa Cine Brasil Especial.

O filme traça um panorama da cultura urbana do final do século passado e passa por importantes momentos da nossa política, como a posse de Figueiredo, os comícios de Lula em São Bernardo, o movimento Diretas Já!, a morte de Tancredo Neves e a nomeação de Sarney à presidência. 

Quanto aos personagens que compunham a paisagem artística do período, o documentário mostra a censura contra Jean-Luc Godard, o rock de garagem dos Titãs, as inovações nas artes visuais com Tunga e Asdrúbal trouxe o Trombone, com sua nova proposta de comédia no teatro. 

 

 

Veja mais
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo