Gabriel Pérez-Barreiro é o novo curador da Bienal de Artes de SP

Após o final da 32ª Bienal de Artes em São Paulo, com curadoria do alemão Jochen Volz, que também já esteve à frente da 27ª edição junto de Lisette Lagnado, os sussurros começam a emergir para a próxima edição. Segundo apuração da revista ARTE!Brasileiros, o próximo curador da 33ªBienal Internacional de Artes de São Paulo será o espanhol Gabriel Pérez-Barreiro, atual diretor e chefe curatorial da Coleção Patricia Phelps de Cisneros.

Doutor em História e Teoria de Arte pela Universidade Essex (Reino Unido) e especialista em História da Arte e Estudos Latino-Americanos pela Universidade de Aberdeen (Reino Unido), Pérez-Barreiro foi curador geral da 6ª Bienal do Mercosul em Porto Alegre, em 2007. Foi também curador de arte latino-americana no Blanton Museum of Art da Universidade do Texas (Austin, EUA); diretor de Artes Visuais da Americas Society (Nova York); coordenador de exposições da Casa de América de Madri; e curador-fundador da Coleção de Arte Latino Americana da University of Essex na Inglaterra.
 

(Créditos: Divulgação)

 

No Brasil, foi conselheiro da Fundação Iberê Camargo e membro do Comitê de Indicação do PIPA 2016. Já organizou exposições de artistas como Iran do Espirito Santo, Rivane Neuenschwander, Lygia Pape, Geraldo de Barros, entre outros. Pérez-Barreiro é o segundo curador da Bienal de São Paulo ligado à Patricia Phelps de Cisneros, após Luis Peréz-Oramas na 30ª edição. 

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo