Xerografia como "Improvável" mediador de um mundo invisível

Mario Ramiro realiza sua primeira individual em São Paulo: Improvável, que acontece de 12 de abril a 13 de maio, na Galeria Zipper.

Ex-integrante do importante coletivo 3NÓS3 junto com Hudinilson Jr. e Rafael França, grupo precursor de intervenções urbanas no país, o artista apresenta um panorama de sua produção visual, incluindo trabalhos recentes e outros mais históricos.

Estes trabalhos históricos convivem com duas séries recentes de Ramiro, um dos representantes da produção conceitual em novos meios como arte-xerox e outros experimentos, como a escultura sonora Rádio Dante, de 2014, que é composta de fotografias, um aparelho de rádio sintonizado fora de estação, transmitindo ruídos, um microfone e um mini-amplificador.

 

Série de xerografia intitulada "O prisioneiro", de 1979 (Créditos: Divulgação / Mario Ramiro)

 

Improvável reflete sobre a crença de que as tecnologias elétricas funcionariam como mediadoras entre o mundo concreto e dimensões invisíveis, uma noção que, no século 19, serviu como inspiração para superar as barreiras entre o mundo físico e o metafísico.

Sobre a mostra, o crítico Ronaldo Entler argumenta: “Difícil situar o que seria o lugar próprio de cada coisa: das antigas 'novas tecnologias' que continuam se reinventando e provocando surpresa, do ectoplasma que dá contorno claro aos espíritos, dessas mãos que tateiam os ambientes escuros – seja o da caverna, seja o da caixa preta das tecnologias – senão para desvendá-los, ao menos, para colocar-se como sujeito de seus mistérios."

 

"Últimas de Lascaux", de 1991 (Créditos: Divulgação / Mario Ramiro)
  • Zipper Galeria - Rua Estados Unidos, 1494 - Jardins, São Paulo
    (11) 4306-4306
    + Ver mapa
  • 12/04/2017 a 13/05/2017
  • Segunda a Sexta: 10h às 19h. Sábado: 11h às 17h.
  • Entrada gratuita.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo