Texto de Hilda Hilst retrata serial killer e sua autobiografia

(Créditos: Keiny Andrade)

 

OSMO reestreia na capital contando a história de um assassino com pretensões literárias que decide narrar a própria história. Com texto de Hilda Hilst, o espetáculo é dirigido por Susan Damasceno e protagonizado por Donizeti Mazonas. A peça faz curta temporada na Oficina Cultural Oswald de Andrade, de 13 de janeiro a 11 de fevereiro, com entrada gratuita.

"O centro de nossa investigação está essencialmente ligado à palavra. Em Hilda, a palavra nada tem de literário, pois a palavra é corpo. Diante da força e complexidade de sua escrita, sentimo-nos desafiados a imergir nessa alquimia de instrumentos verbais e recriar os enigmas e imagens que brotam de sua literatura", conta a diretora. 

Mazonas interpreta um senhor chamado Osmo que, com o desenrolar da história, revela a falta de moral que toma conta de sua vida. O personagem é um anti-herói e busca compreender a dimensão da vida e da morte. "Ele busca em seus atos de horror a transcendência estética. Seu intento narrativo expõe tudo o que ele tem de humano, e isso implica percorrer os caminhos do bem e do mal", explica o ator.

Toda o drama é contado pelo protagonista de dentro de uma banheira, enquanto o mesmo toma banho e coloca-se frente ao público sem pudores ou disfarces.  

 

(Créditos: Keiny Andrade)

 

  • Oficina Cultural Oswald de Andrade - Rua Três Rios , 363 - Bom Retiro, São Paulo
    (11) 3222-2662 / (11) 3221-4704
    + Ver mapa
  • 13/01/2017 a 11/02/2017
  • Quintas e sextas: 20h. Sábados: 18h.
  • Entrada gratuita. Os ingressos são distribuídos com uma hora de antecedência.
  • Classificação: 18 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo