Rodrigo Sassi apresenta instalação sobre o cotidiano na cidade

(Créditos: Divulgação / Rodrigo Sassi)

 

A partir de 16 de setembro, Rodrigo Sassi apresenta a instalação Mesmo com Dias Maiores que o Normal no Centro Cultural São Paulo

A obra tem como objetivo criar releituras de concreto armado com um sistema de auto-iluminação, produzindo sombras que agregam forma e volume ao conjunto escultórico.
 
A relação entre arte e cidade se condensa e se confunde na produção de Sassi, marcada pelo desenvolvimento e pela prática de poéticas visuais que permeiam o cenário urbano, a arquitetura e a construção civil.

Tendo a madeira e o concreto armado como matérias-primas, o artista busca retratar o descontrole e a expansão das grandes metrópoles, transformando tais materiais em arquiteturas livres que se expandem e se contorcem em possibilidades, assim como as cidades.

 

(Créditos: Divulgação / Rodrigo Sassi)

 

Nesta obra inédita, as madeiras que antes foram usadas na fabricação de fôrmas de concreto armado para a construção de edifícios ganham movimento e sinuosidade. O concreto que preenche seu interior faz companhia a conduites de fiação elétrica, levando energia para holofotes distribuídos estrategicamente pela obra.

Apropriando-se de técnicas e materiais da construção civil, a obra Mesmo com Dias Maiores que o Normal cria uma sensação de leveza que se contrasta com a brutalidade e rigidez da madeira e do concreto. O movimento das curvas e a iluminação formam um jogo de luzes e sombras que desenham o espaço.
 
Realizado ao longo de 8 semanas, o processo de produção deste trabalho é exibido em um vídeo em time lapse, que completa a exposição e registra o processo de criação da obra e de transformação desses materiais.

 

(Créditos: Divulgação / Rodrigo Sassi)

 

  • Centro Cultural São Paulo (CCSP) - Rua Vergueiro, 100 - Paraíso, São Paulo
    (11) 3397-4002
    + Ver mapa
  • 16/09/2017 a 26/11/2017
  • Terça a sexta: 10h às 20h. Sábado, domingo e feriado: 10h às 18h.
  • Entrada gratuita.

Tags:

Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo