"Ribanceira" retrata o que fica no homem após catástrofe

Ribanceira apresenta as lembranças do personagem Zé, sobrevivente de uma catástrofe na qual perdeu mulher e filhos, mas que tenta refazer a sua vida resgatando o antigo sonho de ser escritor.

Zé é humano, tem preconceitos, comete erros e chega a ser cruel. Atribui a Deus as responsabilidades pelo que acontece aos seres humanos, se vê em uma situação da qual só sairá se tomar as rédeas da própria vida.

O texto inédito do autor Aramyz, estreia dia 10 de março, às 21h, no Teatro de Arena Eugênio Kusnet e traz o ator Antonio Ginco em seu primeiro solo após 45 anos de carreira, com montagem que tem como norteadores o Teatro Documentário e o Teatro de Narração.

 

(Créditos: Divulgação)

 

“A peça é inspirada na observação de uma realidade vivida por muitas famílias no Brasil e em diversos outros países. Zé, personagem sem sobrenome, representa os diversos sobreviventes de catástrofes sejam as causadas por enchentes, pela falta de recursos financeiros, ou pela impotência de quem vive do lado reservado a uma parcela menos privilegiada da humanidade, demarcado pelo capital e pelo poder”, declara Antonio Ginco.

 

(Créditos: Divulgação)

 

  • Teatro de Arena Eugênio Kusnet - Rua Teodoro Baima, 94 - Vila Buarque , São Paulo
    (11) 3259-6409 / (11) 3256-9463
    + Ver mapa
  • 10/03/2017 a 02/04/2017
  • Sexta e sábado: 21h. Domingo: 19h.
  • R$ 40
  • Classificação: 12 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo