Referência em cenografia, Gianni Ratto ganha homenagem no Sesc

Gianni Ratto (Créditos: Reprodução/ Acervo Instituto Gianni Ratto)

 

Em comemoração aos seus 100 anos, o diretor e cenógrafo Gianni Ratto ganha uma homenagem em forma de exposição no Sesc Consolação. A mostra tem curadoria da historiadora da arte Elisa Byington e da designer Antonia Ratto, filha do artista, e celebra a vida e a obra do também ator. As visitas ocorrem de 7 de fevereiro a 29 de abril, com entrada gratuita.

Gianni Ratto - 100 anos mostra a chegada do italiano ao Brasil, onde fez parte da modernização do teatro no país. A exposição foi construída inspirada na caixa cênica, convidando o público a atravessar as cortinas e viajar pelo universo do cenógrafo. Após 2 anos de pesquisa, a mostra apresenta fotos, esboços, croquis, maquetes, objetos e recortes de jornal, além de projeções e instalações sonoras. 

 

Jocy de Oliveira, Italo Rossi, Fernanda Montenegro, Gianni Ratto e Luciano Berio em 1961 (Créditos: Reprodução/ Acervo Instituto Gianni Ratto)

 

"Eu acho que o Teatro, o verdadeiro Teatro, é aquele que permanece na memória dos tempos; aquele do qual o espetáculo não foi visto mas dele permanece uma gravura, uma máscara, uma foto desbotada, o relato falado de alguém que tendo muito tempo atrás assistido ou ouvido falar de um acontecimento teatral nos dá uma informação imperfeita, apaixonadamente romântica, absolutamente inexata e todavia fascinante", disse Ratto.

Nascido em Milão em 1916, desde pequeno Gianni se interessava por arte, influenciado pela mãe. Aos 16 anos, se tornou aprendiz de arquiteto e foi admitido pelo Centro Sperimentale di Cinematografia. Sua estreia no Brasil foi ao lado de Fernanda Montenegro, onde também trabalhou com Fernando Torres, Ítalo Rossi, Bibi Ferreira, Marcos Caruso, Jandira Martini e Sergio Britto. 

A partir do momento no qual eu vou fazer teatro aqui no Brasil, daí para diante, esse país passa a ser o meu. É a minha terra, a minha mente, meu pensamento

Esteve engajado na resistência à restrição das liberdades democráticas durante a ditadura militar, período o qual colocou fim a um de seus grandes projetos, o Teatro Novo. O diretor faleceu em 30 de dezembro de 2005 em São Paulo, aos 89 anos de idade. 

 

Reprodução da Igreja de San Francesco, em Toscana, para o espetáculo Elliott (Créditos: Reprodução/ Acervo Instituto Gianni Ratto)

 

  • Sesc Consolação - Rua Dr. Vila Nova, 245 - Vila Buarque , São Paulo
    (11) 3234-3000
    + Ver mapa
  • 07/02/2017 a 29/04/2017
  • Segunda a sexta: 11h30 às 21h30.
  • Entrada gratuita.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo