Projeto traz visibilidade à literatura indígena

Projeto Caravana Mekukradjá - Literatura Indígena em Movimento que acontece nos dias 21 e 22 de abril na Caixa Cultural São Paulo, pretende divulgar o movimento da literatura indígena.

Uma vivência cultural que reúne contação de histórias, apresentações de danças, cantos, pinturas corporais e conversas com Daniel Munduruku, idealizador do projeto, e com Aurilene Tabajara, Cristine Takuá e Cristino Wapichana, autores e professores indígenas convidados para essa edição.

Munduruku, vencedor do Prêmio Jabuti de 2017 e diretor do Instituto UKA - Casa dos Saberes Ancestrais, acredita que projeto seja uma forma de inclusão de indígenas na sociedade e promoção da diversidade cultural e social, envolvendo crianças, jovens, adultos e idosos.

Crédito:(divulgação/Marcela Sonim)

Nas palavras de Munduruku, “A literatura em si nos completa enquanto humanos, porque sempre nos lembra de onde viemos, para onde vamos e qual o sentido de nosso pertencimento a este planeta".

Clicando aqui você tem acesso ao convite feito por Munduruku!

Saiba mais sobre os autores participantes abaixo:
 

DANIEL MUNDURUKU

Renomado escritor infanto-juvenil, ganhador de diversos prêmios literários nacionais e internacionais, entre eles o Prêmio Jabuti 2017, Prêmio da Academia Brasileira de Letras, Prêmio Érico Vanucci Mendes, Prêmio Tolerância (outorgado pela UNESCO).

Daniel Munduruku é um dos maiores disseminadores da cultura indígena brasileira. Muitos de seus livros receberam o selo Altamente Recomendável outorgado pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

É diretor presidente do Instituto UKA - Casa dos Saberes Ancestrais.

AURILENE TABAJARA

Nascida na aldeia Imburana, em Poranga (Ceará), pertence à etnia do povo Tabajara e Kalabaça.

Poetisa, cordelista, narradora de histórias indígenas e pedagoga em educação indígena diferenciada, é autora da obra Magistério Indígena em Verso e Poesia, editada pela Secretaria de Educação do Estado do Ceará. 


CRISTINE TAKUÁ

Formada em filosofia pela UNESP, é moradora da aldeia Rio Silveira, onde é professora da Escola Estadual Indígena Txeru Ba'e e Kuai'.

É representante titular no NEI, Núcleo de Educação Indígena na Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, e membro da FAPISP, Fórum de Articulação dos professores indígenas do estado de São Paulo.

Também é fundadora e conselheira do Instituto Maracá, representante nacional por SP na Comissão Guarani Yvyrupa (CGY) e coordenadora na ONG NHANDEPA( Nhanderu/ Epa Kuxipa) que atua na defesa do respeito aos e às pajés e às medicinas da floresta.
 

CRISTINO WAPICHANA

Autor indígena do povo Wapichana, da aldeia Araça da Serra, em Roraima.

É contador de histórias, palestrante sobre a temática indígena em escolas, universidades e entidades culturais, e produtor do Encontro de Escritores e Artistas Indígenas.

Foi vencedor do 4° concurso Tamoio de literatura pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, em 2007 e ganhador do Prêmio Litteratudo Monteiro Lobato 2015.

Em 2014,  recebeu a Medalha da Paz no Movimento União Cultural. Foi indicado ao Prêmio da Ordem do Mérito Cultural da Presidência da República, entre 2008 e 2014, pelos trabalhos em prol a cultura indígena brasileira.

Atualmente, ele atua como avaliador de projetos do Programa Rumos Itaú Cultural 2017.

  • Caixa Cultural São Paulo - Praça da Sé, 111 - Centro, São Paulo
    (11) 3321-4400
    + Ver mapa
  • 21/04/2018 a 22/04/2018
  • Sábado e Domingo, às 15h
  • Gratuito
  • Livre
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo