Peça investiga o surgimento da cidade do Rio de Janeiro

(Créditos: Divulgação / João Julio Mello)

 

Estreia, em 20 de janeiro, o espetáculo Guanabara Canibal, no Sesc 24 de Maio. Trata-se da terceira obra da trilogia sobre a história da cidade do Rio de Janeiro, em cartaz até 18 de fevereiro.

Uma primeira questão pode ser colocada para dar início ao tema da peça: “Além de palavras de origem tupi como Guanabara, Maracanã, Ipanema e carioca, o que mais restou de registro da presença dos índios no Rio de Janeiro?”

 

(Créditos: Divulgação / Julio Ricardo)

 

Guanabara Canibal dá continuidade à investigação cênica e dramatúrgica da história da cidade do Rio de Janeiro, que teve início com o espetáculo Cara de Cavalo, em 2012, sobre a extinta favela do Esqueleto, atual UERJ, nos anos 60; e seguiu com Caranguejo Overdrive, em 2015, sobre o antigo mangue que foi aterrado no final do século XIX, atual Praça XI.

Nesta nova peça, a Aquela Cia. retorna às origens ao olhar para a fundação da cidade, tendo como referência para a construção da dramaturgia a literatura quinhentista, que inclui os relatos dos cronistas franceses Jean de Lery e André Thevet, que acompanharam a formação da colônia França-Antártica, no Rio de Janeiro, e o poema Feitos de Mem de Sá, do padre José de Anchieta, que narra a ofensiva portuguesa contra os tupinambás e ocupação francesa na cidade.

 

(Créditos: Divulgação / Julio Ricardo)

 

“A pesquisa feita para a criação de Cara de Cavalo e Caranguejo Overdrive nos estimulou a continuar a investigação acerca da nossa própria história. Ao reler O Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro, me deparei com um poema de José de Anchieta sobre os feitos de Mem de Sá durante as batalhas que dizimaram várias aldeias tupinambás e consagraram o domínio de Portugal sobre o nosso território”, lembra Marco André Nunes, diretor do espetáculo. 

  • Sesc 24 de maio - Rua 24 de Maio, 109 - Centro, São Paulo
    (11) 3350-6300
    + Ver mapa
  • 20/01/2018 a 18/02/2018
  • Sexta: 21h. Sábado: 18h e 21h. Domingo:18h | Aniversário de São Paulo - Quinta: 14h e 18h.
  • Inteira R$ 30. Meia R$ 15.
  • Classificação: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo