Peça é inspirada no preconceito contra portadores de HIV

(Créditos: Maya Morikawa)

 

Sem tempo ou espaços definidos, Proibido Amar chega ao Teatro Augusta num drama inspirado nos preconceitos vividos pelas pessoas portadoras do vírus HIV. A história trata de três vítimas de uma epidemia, que são colocados em quarentena pelo Estado, temente que a contaminação se espalhe ainda mais. Isolados, os homens colocam ali todas as angústias que os afligem, sendo a plateia testemunha dos relatos. A obra fica em cartaz de 7 de outubro a 16 de dezembro, com ingressos a R$ 50.

Após colocados em quarentena, Ares, Eros e Apolo são submetidos a uma série de exames e é esse processo o contexto do espetáculo. O tal vírus, que já contaminou mais de 30% da população, é transmitido sexualmente, trazendo referências ao HIV. Os personagens são submetidos a punições e acusações, como na preconceituosa e desinformada sociedade atual.

O espetáculo é tenso devido a pressão e estresse que os três vivem. Proibido Amar é baseado em depoimentos de vítimas de doenças virais e de pessoas repreendidas pela orientação sexual, e ainda trata de assuntos como o amor e dilemas familiares. A peça é escrita e dirigida por Rafael Salmona e conta com Ferruccio Cornacchia, Paulo Tardivo e Paulo Victor Gandra no elenco.

 

(Créditos: Maya Morikawa)

 

  • Teatro Augusta - Rua: Augusta, 943 - Cerqueira César, São Paulo
    (11) 3151-4141
    + Ver mapa
  • 07/10/2016 a 16/12/2016
  • Sextas: 23h30.
  • R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).
  • Classificação: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo