Peça discute práticas polêmicas no universo LGBT+

(Créditos: Divulgação / Alice Jardim)

Mark está em uma quarentena sendo analisado por uma voz, um programa de inteligência artificial. Em fragmentos e saltos atemporais, Bug Chaser - Coração Purpurinado conta a saga desse homem, um advogado criminalista que busca se infectar propositalmente, prática essa intitulada de bugchasing.

Em fragmentos e saltos atemporais, a peça conta a saga desse homem, um advogado criminalista que busca se infectar propositalmente, uma subcultura pouco discutida na comunidade LGBT contemporânea.

Bug Chaser – Coração Purpurinado está em cartaz na Oficina Cultural Oswald de Andrade para temporada gratuita até 5 de agosto.

 

(Créditos: Divulgação / Alice Jardim)

 

“Falar de bareback [sexo sem preservativo], de um homem a procura de um vírus e de toda uma sociedade deteriorada, é trabalhar num universo particular que não deve ser entendido cartesianamente e requer cuidado para não reforçar preconceitos.", conta o diretor Davi Reis.

E prossegue: "O nosso desafio foi se debruçar sobre esse texto que trata de escolhas radicais e no trabalho do ator criador que lida com um personagem de extremos. Aqui, a luta contra a biopolítica impositiva e em estar fora da caixa social em que estamos automaticamente submetidos é levada ao limite. Pretendemos trazer questionamentos para além da simples reflexão e julgamento”.

 

(Créditos: Divulgação / Alice Jardim)

 

  • Oficina Cultural Oswald de Andrade - Rua Três Rios , 363 - Bom Retiro, São Paulo
    (11) 3222-2662 / (11) 3221-4704
    + Ver mapa
  • 06/07/2017 a 05/08/2017
  • Quinta e sexta: 20h. Sábado: 18h.
  • Entrada gratuita.
  • Classificação: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo