O cinema de Jerzy Skolimowski em retrospectiva no CCBB

Jerzy Skolimowski (Créditos: Reprodução)

 

Uma das vozes mais originais da Nouvelle Vague polonesa ainda em atividade, Jerzy Skolimowski, ganha uma retrospectiva no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo. A Mostra O cinema de Jerzy Skolimowski acontece de 24 de maio a 12 de junho e exibirá 19 filmes do cineasta, entre curtas e longas-metragens, em grande parte inéditos no Brasil.

Skolimowski entrou para o cinema no início dos anos 1960, colaborando com cineastas poloneses que mais tiveram reconhecimento internacional, dentre eles Roman Polanski, a quem conheceu na faculdade de cinema, colaborando com o roteiro de seu primeiro longa Faca na água (Nóz w Wodzie, em título original) de 1962.

 

Cena de Faca na Água, de 1962 (Créditos: Reprodução)

 

Poucos cineastas do leste europeu tiveram o trânsito que Jerzy teve no ocidente. O autor foi acolhido pela crítica internacional, abrindo portas para uma obra transnacional, entre Polônia, Bélgica, Inglaterra e EUA.

Nos seus filmes, o tema principal é o estranhamento e o deslocamento do sujeito diante de um mundo no qual não se reconhece. Seu cinema de invenção fez com que ele fosse admirado por cineastas diversos, como Jean-Luc Godard, David Lynch e Quentin Tarantino.

 

Cena do filme Classe Operária, de 1982 (Créditos: Divulgação)

 

Na mostra estão presentes títulos premiados como A Partida, de 1967, vencedor do Urso de Ouro em Berlim e que conta com o ator fetiche da Nouvele Vague francesa – Jean-Pierre Léaud – no papel principal; O Grito, de 1978, laureado com o prêmio especial do júri em Cannes e é o primeiro feito com a tecnologia dolby; Classe Operária, de 1982, eleito o melhor roteiro em Cannes e considerado um dos melhores filmes sobre exílio, dentre outros.

Realizados na Polônia, estes filmes inaugurais são fortemente marcados pela improvisação, pela montagem ágil, pelo tom satírico com que abordam a experiência dos protagonistas, interpretados por Skolimowski nos dois primeiros filmes. 

 

 

O cineasta decidiu parar de filmar em 1991. Após 17 anos, as obras que marcaram a sua volta também estão na programação da mostra.  São elas: Quatro noites com Anna, de 2008 conta uma história de amor pouco convencional e Essential Killing, de 2010 sobre um fuga de um iraquiano de uma prisão de segurança máxima americana, que teve o feito inédito de ganhar dois dos principais prêmios em Veneza: melhor ator e prêmio do júri no mesmo ano.

  • Centro Cultural Banco do Brasil - São Paulo - Rua Álvares Penteado, 111 - Centro, São Paulo
    (11) 3113-3651 / (11) 3113-3652
    + Ver mapa
  • 24/05/2017 a 12/06/2017
  • Quarta a segunda: 9h às 21h.
  • Inteira R$ 10. Meia R$ 5.
  • Classificação: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo