"O Bote da Loba" discute a misoginia e os tabus do corpo feminino

(Créditos: Gal Oppido)

 

Após o sucesso de Navalha na Carne, Anette Naiman reestreia mais uma produção no Teatro Garagem, que celebra 13 anos em 2017. O Bote da Loba fica em cartaz de 11 de janeiro a 31 de março, integrando a Ocupação Plínio Marcos, idealizada pela atriz em parceria com o filho do autor, Ricardo Barros. O texto, pela primeira vez adaptado para os palcos, conta a história da relação entre uma taróloga e sua cliente, e discute o fato do prazer feminino ainda ser considerado tabu. Os ingressos custam R$ 50.

"Plínio foi um homem de seu tempo, retratou aquilo que vivenciava cotidianamente, observando e registrando a visão da sociedade de sua época. Seus textos tornaram-se clássicos da dramaturgia brasileira, são documentos históricos, pois retratam valores, costumes e pensamentos de uma sociedade em uma determinada época. Neles, podemos ver o que realmente progrediu e caminhou no sentido da modernização de um pensamento social e consequentemente", diz Naiman.

Ao lado de Luciana Caruso, as atrizes dão vida ao último texto escrito pelo dramaturgo em 1997. Na trama, Veriska é uma maga vidente que tentará ajudar a cliente Laura, casada e reprimida, a se livrar do sofrimento que causa tanta angústia. Dirigida por Marcos Loureiro, a peça discute a perpetuação da cultura misógina, machista e patriarcal, e o conhecimento do corpo feminino.

  • Teatro Garagem - Rua Silveira Rodrigues, 331a - Vila Romana, São Paulo
    + Ver mapa
  • 11/01/2017 a 31/03/2017
  • Sextas: 21h30.
  • R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).
  • Classificação: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo