Natalia Gonsales interpreta filósofa que se tornou operária

(Carla Trevizani/ Divulgação)

 

Além de escritora e filósofa, Simone Weil foi operária, numa experiência para entender como era o cotidiano dos trabalhadores dentro das fábricas. A partir dessa vivência, nasceu A Última Dança. A peça protagonizada por Natalia Gonsales fará uma apresentação única no dia 11 de abril no Itaú Cultural, integrando o projeto Terça Tem Teatro.

O responsável pela dramaturgia e adaptação do diário da francesa é o coordenador do Núcleo de Dramaturgia do SESI, César Baptista. Na trilha sonora de Daniel Maia, ruídos de correias e barulhos de macetadas criam a atmosfera industrial em conjunto com a cenografia de Flávio Tolezani, inspirada em máquinas.

Weil nasceu em Paris, em 1909, e aos vinte e poucos anos abandonou a família e os estudos para passar pela experiência que mudaria a sua vida. Trabalhou nas linhas de produção de uma fábrica com o objetivo de analisar as condições dos operários e a opressão social que viviam. Formada em filosofia pela Sorbonne, foi a primeira mulher catedrática da França e faleceu aos 34 anos por desnutrição.

  •  (Crédito: Carla Trevizani)
    (Crédito: Carla Trevizani)
  •  (Crédito: Carla Trevizani)
    (Crédito: Carla Trevizani)
  •  (Crédito: Carla Trevizani)
    (Crédito: Carla Trevizani)
    • Itaú Cultural - Avenida Paulista, 149 - Bela Vista, São Paulo
      (11) 2168-1777 / (11) 2168-1776
      + Ver mapa
    • 11/04/2017 a 11/04/2017
    • Terça: 20h.
    • Entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência.
    • Classificação: 12 anos.
    Comentários
    Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo