Mostra audiovisual imersiva é realizada por artistas mulheres

Com uma diversidade de estilos bastante ampla, a próxima edição do CANVAS
Audiovisuais será realizada no espaço cultural independente e editora visual LEVIATÃ no
próximo sábado dia 23 de junho de 2018.

Serão expostas 4 videoinstalações que tomam o corpo e a ação performática como elementos centrais: seja pela desconstrução da paisagem, provocando o olhar como ponto de desfiguração em perspectivas, seja pela amplificação do gesto, fazendo dos movimentos circuitos rizomáticos distribuídos pelas telas. Do audiovisual expandido as micro multidões.

(Créditos: Reprodução/ frame de À Deriva - Dani Spadotto)

Os 2 trabalhos a serem apresentados por Dani Spadotto, são fragmentos de uma mesma obra “Elegia Obscena”, um filme-performance-instalativo composto por 37 cenas, nela, a artista busca através desse processo “explorar as sensações provocadas pela vigilância e pelo delírio” decompondo interfaces a cada montagem, num ciclo continuo de narrativas múltiplas.

Para o CANVAS serão expostos “Maldoror” 2016, dispositivo-performático e “Á Deriva” 2017, vídeo- performance.

Lorena Pazzanese apresenta também 2 trabalhos, em “Virtuar” de 2013, a vídeo- performance exibe uma relação sexual entre a performer e seu computador portátil, já em “Tules Hologramáticos” de 2014, em parceria com a VJ Bruna Callegari, a imagem da performer é captada por sensor infravermelho e enviada a um software de edição que manipula e projeta uma nova imagem sobre o holograma.

No trabalho “Máquina de Inscrever” a multi-artista Paloma Klisys, manipula e reconstrói uma série de áudio-documentários construindo ao vivo uma realidade coletiva a partir de diversos depoimentos coletados aleatoriamente pelas ruas da cidade, produzindo uma “novela-mixagem” a partir de vozes anônimas.

(Crédito: Reprodução/Lígia Alonso/ Everton Amaro)

Já a VJ Ligia Alonso faz um caminho contrario, sua plasticidade é quase de isenção de humanidade, fazendo vibrar cores e contrastes em formas sinuosas, num combate festivo com beats eletrônicos em uma arena repleta de robôs lisérgicos.

A interface lúdica nesse jogo fica por conta da cineasta e vídeo-criativa Fernanda Fernandes que irá fazer cinema ao vivo a partir de processos analógicos de produção, como animações hand-made, estimulando as frequências modulares da produtora musical Raquel Abdian ambas membras do Coletivo Espectro.

Fecha a grade de convidadas a artista Marcela Frasson que irá produzir um site specific de light art.

 

 

 

  • Espaço Leviatã - Rua Sete de Abril, 356 - 4º andar - , São Paulo
    + Ver mapa
  • 23/06/2018 a 23/06/2018
  • Sábado: EXPO - Das 19 as 00.LIVES – 21:30h
  • Gratuito.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo