Instituto Tomie Ohtake revisita produção de Leda Catunda

 

Lobo, 2014 (Créditos: Divulgação)

 

“A sensibilidade de Leda Catunda nasce do convívio constante com a pintura, sua história e seus desdobramentos contemporâneos. E se expande em choque apaixonado pela abundância de imagens, marcas e estilos que rege o cotidiano de quase todo cidadão atual, dentro e fora das grandes cidades”, afirma o curador Paulo Miyada sobre a produção da pintora paulistana.

Cerca de uma centena de trabalhos produzidos por Leda de 2003 a 2016 são exibidos na exposição I LOVE YOU BABY, no Instituto Tomie Ohtake, a partir de 10 de novembro. A entrada é gratuita.

 

I love you so much, 2016 (Créditos: Divulgação)

 

A exposição de Leda é parte do projeto Nossas Artistas. A iniciativa propõe uma sequência de mostras individuais dedicadas a artistas que fizeram e fazem a história da arte brasileira. Deste modo, a artista faz parte de um conjunto que tem Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Lygia Clark, Mira Schendel, Tomie Ohtake e Anna Maria Maiolino como representantes.

I love you baby, 2016, Leda Catunda (Créditos: Divulgação)

 

Dentre as obras exibidas na exposição, estão: pinturas, colagens, gravuras, desenhos e objetos, além de obras feitas especialmente para as paredes das salas da instituição. Neste conjunto, o uso do desenho como estrutura pictórica estabelece uma síntese inédita do transbordamento de imagens e matérias recorrente na obra de Catunda.

Como uma catalizadora da cultura material, a artista constrói reflexões sobre a o consumo, as várias estridentes linguagens comportamentais, a efemeridade e a espetacularização, a partir do uso de elementos cotidianos, como toalhas, tapetes, lonas, plásticos, camisetas, janelas, fórmicas, entre outros.

I love you Baby fica em cartaz até 17 de janeiro de 2017.

 

  • Instituto Tomie Ohtake - Avenida Faria Lima , 201 - Pinheiros, São Paulo
    (11) 2245-1937
    + Ver mapa
  • 10/11/2016 a 17/01/2017
  • Terça a domingo: 11h às 20h.
  • Entrada gratuita.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo