"Bruta Flor" retrata a homofobia internalizada em dois rapazes

(Créditos: Ronaldo Gutierrez)

 

Uma reflexão sobra a intolerância marca Bruta Flor, espetáculo que terá sua temporada prorrogada até 30 de março, no Teatro Viga Espaço Cênico. Na trama, os atores mergulham num texto denso que trata da homofobia internalizada e sua possível consequência trágica. A montagem dirigida por Márcio Rosário, conta com Fabio Rhoden, Walquiria Ribeiro e Pedro Lemos no elenco.

 

(Créditos: Ronaldo Gutierrez)

 

A peça trata do relacionamento entre dois homens, Lucas e Miguel, que se encontram presos em um lugar desconhecido, no qual relembram suas trajetórias desde a adolescência.

Após mais de 10 anos estudando em Londres, Miguel volta ao Brasil e reencontra Lucas no metrô, trazendo à tona sentimentos até então desconhecidos. A relação ganha contornos dramáticos envolvendo a aceitação da homossexualidade. 

"O texto inédito chegou em boa hora, porque eu queria muito falar sobre preconceitos e homofobia. A abordagem é profunda e há uma dose de espiritualidade. Soube de cara que era a peça que eu procurava e pela receptividade do público", comentou Márcio Rosário.

 

(Créditos: Ronaldo Gutierrez)

 

  • Teatro Augusta - Rua: Augusta, 943 - Cerqueira César, São Paulo
    (11) 3151-4141
    + Ver mapa
  • 04/08/2017 a 29/09/2017
  • Sexta: 21h30
  • R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia)
  • Classificação: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo