Curso do Sesc aborda processo de construção de filmes históricos

Não apenas no campo da ficção, como também na prática do cinema documentário, a criação do filme histórico depende da imaginação, ou seja, daquilo que os dicionários chamam de "faculdade que tem o espírito de representar".

Simbolizar, descrever, resumir são também modos de comunicar por meio de imagens. O fato histórico jamais se transfere em bruto para o filme, porque para chegar aos nossos sentidos, qualquer referência audiovisual ao passado pressupõe alguma mediação. Ou seja, tanto o conteúdo dos documentos, escritos e gravados, até mesmo desenhados ou figurados em gestos, quanto as lembranças e recordações se traduzem em imagens.

 

(Créditos: Divulgação)

 

O processo de tradução do conteúdo de documentos escritos, gravados ou desenhados, e de lembranças e recordações, em filmes históricos ficcionais e documentais é o tema de curso realizado pelo Centro de Pesquisa e Formação do Sesc de 9 a 11 de janeiro. 

Ministrado pelo crítico de cinema Luciano Ramosaborda esse processo e, além de um caso de ficção histórica, analisa um documentário e a adaptação de uma narrativa infantil. 

  • Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo - Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - Bela Vista, São Paulo
    (11) 3254-5600
    + Ver mapa
  • 09/01/2017 a 11/01/2017
  • Segunda e quarta: 19h30 às 21h30.
  • R$50 (inteira) R$ 25 (meia-entrada) R$15 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes)
  • Classificação etária: 16 anos.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo