Campanha mundial inclui mulheres no Wikipédia

Créditos (Divulgação)

 

A campanha arte+feminismo chega a sua quinta edição no Brasil/São Paulo no Centro Cultural Artemis.  

Com o intuito de inserir e preservar a memória de mulheres cis e transgêneros, feminismo e artes visuais na plataforma do Wikipédia, o evento convida mulheres a se organizarem para fazerem a manutenção de suas histórias.

Organizado pela historiadora da arte Bárbara Ariola e a produtora de eventos Karen Rego, o evento foi dividido em dois dias. No sábado (10/03) ocorreu a explicação sobre o projeto, levantamento de mulheres que ainda não constavam na plataforma e uma fala sobre arte e feminismo mediada por Ariola.

Amanhã, dia 17 de março, será o dia oficial da edição da plataforma e encerramento do evento. A programação prevê uma imersão em pesquisa e explicação do uso do site. 

Sobre a importância do evento, Bárbara comenta:

"O Art+Feminism foi criado em 2013, quando se notou que não só havia um desfalque enorme de mulheres artistas na Wikipédia, como também menos de 10% das pessoas que editavam eram mulheres. A História da Arte, assim como a História geral, relegou as mulheres artistas e colocou como gênios ou cânones em sua extensa maioria, artistas do sexo masculino. Hoje em dia, felizmente, temos grandes mulheres nas listas de artistas mais vendidas e bem-sucedidas. No entanto, o nosso passado ainda é escasso".

E continua: "Justamente porque a história conta tudo sobre um ponto de vista masculino, sem considerar privilégios, acesso e vantagens de ser homem num campo tão pequeno e disputado que é a arte. Sendo assim, o Art+Feminism, projeto idealizado nos EUA, acabou por percorrer diferentes partes do mundo. No Brasil, só este ano, temos mais de 3 edições em São Paulo, além do Rio de Janeiro e Rio Branco. É nossa oportunidade não só de reescrever a história nesta plataforma coletiva, como também traduzi-la e torná-la acessível à todos, em especial jovens e estudantes. E a melhor de se fazer isso, levando em conta a autonomia e democracia da Wikipédia, é também colocá-la em formato mutirão."

 

Facilitadoras:
Bárbara Ariola
Lésbica, graduada em História da Arte pela Universidade Federal de São Paulo, também trabalha como astróloga e é escritora. Pesquisa performance, gênero, feminismo, mitologia e simbolismos nas artes visuais. Escreve na página Mar dos Cosmos, além de criar conteúdo de artes, astrologia e feminismo para seu canal no YouTube, a Cósmica.

Karen Rego
Lésbica, feminista, produtora cultural e estudante de Ciências Sociais. Trabalhou durante 6 anos na Secretaria Municipal de São Paulo e foi responsável pela criação e produção da primeira Virada Feminista da América Latina (edições que aconteceram em 2015 e 2016), além de diversos shows, oficinas e atividades culturais. Atualmente é produtora executiva em instituição privada.

 

Para mais informações, acesse o evento nas redes sociais.

  • Centro Cultural Artemis - R. Dr. Costa Júnior, 216 - Água Branca, São Paulo
    (11) 4117-7597
    + Ver mapa
  • 10/03/2018 a 17/03/2018
  • Sábado: 14h às 19h.
  • Evento gratuito.
  • Não é preciso conhecimento prévio. Levar Notebook, tablet ou smartphone.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo