Caixa Belas Artes realiza mostra de Cinema Mexicano Contemporâneo

 Em cartaz de 18 a 31 de maio, na Caixa Belas Artes, a mostra de Cinema Mexicano Contemporâneo, com programação especial também na Caixa Cultural São Paulo.

A programação reúne filmes dos mais variados gêneros, bate-papo com Pablo Delgado, diretor do premiado filme As Lágrimas, e o debate intitulado Cinema Mexicano Contemporâneo e aproximações com a América Latina, sob comando de Mateus Nagime.

Na Caixa Cultural São Paulo, na Sé, será ministrado mini-curso gratuito com comentários a cerca das questões históricas, estéticas e políticas apresentadas em cenas dos filmes contemplados.

 

Cena de "Amores Brutos", de Alejandro González Iñárritu (Créditos: Reprodução)

 

Um dos grandes trunfos da mostra é o minucioso trabalho de seleção das obras e diretores: “A ideia é exibir filmes premiados internacionalmente, masque nunca entraram no circuito comercial brasileiro, nem na programação da Netflix. O intercâmbio do Brasil com a produção cinematográfica da América Latina está mais concentrado na Argentina", explica Mateus.

"Com exceção de nomes como Afonso Cuarón, Alejandro González Iñárritu e Guillermo del Toro, pouco se sabe sobre o cinema mexicano por aqui. Por estar em um bloco intermediário, dividindo as duas Américas, o país mistura sua identidade cultural com influências que vêm dos EUA e da América do Sul, criando um cinema jovem, com inspiração nas vivências de rua, e dotado de diretores super-criativos, sobretudo em início de carreira”, acrescenta.

 

Cena do filme "Eu sou a felicidade do mundo", de Julián Hernándes, que faz parte dos títulos selecionados para a mostra. (Créditos: Reprodução)

 

O grande fio condutor da mostra está na apresentação de personagens que passam por alguma ruptura e buscam algo a mais. Esta é uma característica comum aos documentários, dramas, romances e outros gêneros que fazem parte do evento.

Entre os 14 longas e três curtas que serão exibidos, destacam-se as obras do premiado diretor Julián Hernándes. Os seus filmes costumam colocar em pauta a juventude, a sexualidade e a temática LGBT, o que pode ser evidenciado no curta Nuvens Flutuantes e em sua mais recente produção, Eu sou a Felicidade deste Mundo.

A cineasta Dalia Reyes também chama a atenção com Banho de Vida, que mostra mulheres garis compartilhando ideias, dores e confissões em um banho público. Outra atração é As Escolhidas, de David Paulo, que foi selecionado para o Festival de Cannes em 2015. O filme traz à tona o drama de uma jovem que se envolve em um sistema de prostituição e escravidão sexual contra a própria vontade.

 

 

O documentário H20mx, de José Cohen e Lorenzo Hagerman, foge do formato convencional e expõe a crise hídrica na Cidade do México. Outro ponto alto está em A Navalhada, documentário-ficção de Ricardo Silva.

O público também poderá conferir As Razões do Coração, de Arturo Ripstein, célebre cineasta representante da antiga geração do cinema mexicano.

Animações também têm espaço garantido com O Modelo de Pickman, de Páblo Ángeles Zuman, o inteligente e divertido Manhã Psicotrópica, de Alejandro Aldrete, entre outras obras que atestam a universalidade do cinema local.

 

Cena de "O Modelo de Pickman", de Páblo Ángeles Zuman (Créditos: Reprodução)

 

Para mais informações sobre o evento e a programação da Mostra, acesse o site do Caixa Belas Artes.

  • Caixa Belas Artes - Rua da Consolação, 2423 - Consolação, São Paulo
    2894-5781
    + Ver mapa
  • 18/05/2017 a 31/05/2017
  • Segunda da sexta: 13h até 20 minutos após o início da última sessão. Sábado e domingo: 12h30 até 20 minutos após o início da última sessão.
  • Inteira R$10. Meia R$ 5. Passaporte R$ 30.
Comentários
Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake Museu de Arte Moderna de São Paulo